As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

De baixa pela Caixa... que sorte não acha?

Caros bloguistas militantes

Passei 4 dias numa estância de férias e não paguei nada. (tenho "T" no meu cartão)

Até parece que ganhei a estadia, num daqueles telefonemas que nos fazem para casa a promover agências de viagens, e que nos oferecem estadias em hóteis...

A estância chama-se "Egas Moniz" e fica ali para os lados de Alcântara...

Para quem não é de Lisboa... eu deslindo... estive 4 dias no Hospital com uma tal de Litiase renal.

Dentro do género, foi uma estadia agradável, tirando as dores, as sopas sem sabores ( por acaso não estavam nada más), e a confecção do peixe que enfim... deve ser de uma qualquer "cuisine" especial que leva tempo a nós nos habituarmos...

Enfim ... já lá vai ... ou quase...

Constatei que não existem uma série de condições nos nossos hospitais, tem horas para tudo o que acho muito bem ( agora faço 6 refeições diárias... nem tudo foi mau), o banho é também a horas certas... só que... não havia toalhas... tínhamos de nos limpar a lençóis.

Dão-nos um pijaminha... todo catita... modelo único para todos... mas tem um padrão agradável... só que roupão... não havia... quer dizer... havia mas não chegava para todos.

A TV só tinha os 4 canais, e sem comando pois já era o 3º que roubavam... de TV estava fraco... mas assim sempre deu para nos ausentarmos do mundo um pouco.

O meu companheiro de quarto era um espectáculo, quase 80 anos, bem vividos, e com histórias fantásticas para contar, fiquei a conhecer África com outros olhos, e a entender um pouco mais de agronomia... fez assim com que a estadia fosse bastante agradável.

A maior parte das enfermeiras eram lindas... o que sempre atenuava os inconvenientes... ai ai (suspiro) ... adiante...

A paisagem era magnífica, do 8º piso, via-se uma das partes mais lindas de Lisboa, o que é sempre muito agradável... ainda não sei como não acabaram com o hospital e fizeram dali um hotel... talvez quando algum pato bravo for ali internado, com aquela gripe que eles tem... é uma gripe assim a modos que de betão e anti verde.

Bom, mas com isto tudo, e pelo que eu vi, lembrei-me das listas de espera ( eu não fiquei á espera fui logo internado, tinha passado antes pelo S. Francisco Xavier... pelo hospital... note-se ... não pelo santo ... pelo menos julgo-o eu que sou agnóstico).

O hospital não tinha, e eu acho que deveria ter, uma folha que nos era dada no fim, a saber da nossa satisfação, assim um género de inquérito de qualidade, com vários itens... não não tinha nada disso... claro que só poderiam preencher os que saiam dali a pé ou a respirar e com consciência... porque os outros de certeza que não saem dali satisfeitos.

Isto vem a guisa, que a saúde em Portugal está uma lástima, e eu não culpo a 100% os decisores políticos, só tem alguma responsabilidade por omissão e por alguma inacção e por cederem facilmente ao lobby do médicos.

Temos 600 mil pessoas em lista de espera... para Portugal é muita gente... são cerca de 5% da população.

E essas 600 mil pessoas... que não são números, são pessoas, e ainda por cima pessoas doentes, estão à espera de uma cirurgia, e esperam porque faltam recursos em Portugal.

Ora a falta de recursos é um mal que se calhar não podemos fazer face, mas agora a falta de organização isso aí poderá ser colmatado.

Estamos numa união europeia, que nos exige muita coisa, que se fala em subsidariedade ( aquele palavrão que quase ninguém sabe o que significa mas que deveria ser usado com mais frequência).

A maior parte dos 27 países da União, não tem listas de espera, pelo contrário ( já para não falar de Cuba).

Alem disso, tem óptimos médicos, e óptimas condições.

Porque é que não estabelecemos protocolos, e enviamos os nossos doentes para serem tratados por eles?

Acham isso impossível? Fretar uma série de aviões, enche-los de doentes, acompanhados por um médico português da especialidade, e os nossos doentes serem operados no estrangeiro?

Vejamos hipoteticamente o seguinte:

São cerca de 6 especialidades com 45.000 doentes em lista de espera (as principais), ora isso dá 270.000 doentes, e os restantes em especialidades com menos pessoas.

Que no mês de Dezembro e no mês de Agosto não enviemos ninguém, são 10 meses.

10 meses são 300 dias, tiramos os fins de semana e feriados e também em principio não enviaríamos todos os dias doentes.

Digamos que nos sobrava 200 dias, e que enviamos por dia 22 aviões A320 que tem 150 lugares( para 22 dois países da União Europeia, presumindo que nem todos os outros 26 países, tenham capacidade de aceitar esta proposta, e se quiséssemos ser eficazes até a Cuba iam... acho que tem uma excelente parte oftalmológica), mas como são doentes, ocupariam só 100 lugares, pois poderia ser necessário material médico etc...

Ora temos 22 aviões a 100 lugares vezes 2 dias, isso dá... 440.000 doentes a serem tratados só num ano ... isto contas por alto...

Os doentes, no país de destino, de certeza que não iriam ser todos colocados no mesmo hospital, iriam ser espalhados, não esquecer que os outros países são bem maiores que nós, bom a maioria... e que 100 doentes... era capaz de ser fácil de darem conta.

Isto quereria dizer... que ficaríamos com o problema das listas de espera, resolvido em ano e meio.

E os custos, perguntam vocês com propriedade, e os custos?

Quanto aos custos... peço que me respondam à seguinte pergunta...custa mais ao Estado mandar tratar fora os doentes, resolvendo um problema político e social, poupando em subsídios, em abstinência ao emprego por motivo de doença, tanto dos doentes como dos familiares, em comparticipações, em medicamentos, em gasto de recursos...etc... etc... ou gastaremos mais em manter esta situação, em que as pessoas continuam doentes e a sofrer e agastar as suas reformas na farmácia?

Pergunto, os decisores políticos, ou melhor os gestores do estado (que induzem os políticos a tomar decisões), já se puseram na pele de quem não vê e espera anos por uma cirurgia? Já se puseram na pele de quem sofre de dores horríveis na coluna ou noutro lado qualquer, e anda a drogar-se constantemente para não ter dores?

Pois não se devem ter colocado nessa pele, é que essas partes não entram para a estatística...

Já viram o que se evitaria, em termos futuros em inspecções médicas, e nas barracadas e sadismo e inabilidades que esses senhores fazem... e que deixam qualquer ministro da tutela ficar mal na fotografia.

Por falar em inspecções médicas, eu que já fui 3 vezes a uma inspecção médica, penso que os médicos que lá estão devem ser sádicos, cegos, surdos e talvez loucos.

Pois reparem, na quantidade de aberrações que nós vemos nas notícias, de pessoas que mal podem viver quanto mais trabalhar e eles sarcasticamente mandam a pessoa trabalhar... e ainda se desculpam com as leis...

Ora se os Juristas/Advogados não operam nem dão consultas médicas, porque é que os médicos da Inspecção interpretam as leis... e o problema é que sempre mal... faz-me sempre lembrar aquele ditado "Quem manda a ti sapateiro tocar rabecão?"

Eu por exemplo tive alta, pois quando fui convocado para a inspecção médica, tinha o médico de família e o médico especialista de férias, cheguei lá sem papeis de nenhum dos médicos...

E julgam que eles falaram comigo, a perguntar o que eu tinha?

Era o falas... Não... eles grunhiram-me com maus modos, em tom forte intimidador e de frete, em tom de temos de despachar mais este porque eu tenho mais que fazer... o BI e os papeis justificativos do médico, como eu não tinha nem me deixaram dizer mais nada.

Ora em linguagem médica inspectiva... sem papeis significa ronha, ronha significa que tem de dar alta... e assim fui despachado... e sem possibilidade de reclamar pois os meus médicos estavam de férias no prazo fixado para a reclamação... é o país que temos...

Eles olharam para mim e disseram, a sua recuperação em média na Europa dura 6 meses, você já está à mais tempo... por isso tem alta e vai trabalhar...

Quando contei isto ao médico especialista ele até trepou pelas paredes... e mandou-me continuar a fazer o tratamento... até ficar bom... sem baixa... mas paciência.

E os inspectores da segurança social são outros que tais, aqueles que vão a nossa casa ver se estamos de baixa e não estamos a trabalhar noutro lado, para eles somos todos uns malandros, que andamos a enganar o estado.

Não olham para os boletins da baixa, não olham que lá está escrito pode sair de casa das 11.00 às 13.00 e das 17. às 18.00 ... acho eu ... e vão a tua casa mesmo à hora que o médico disse que podias sair... fazer a fisioterapia...

Estes caramelos armados em funcionários públicos, defensores da legalidade e da burocracia, só podem ser sádicos.

Pior, e isso aconteceu-me, tocam uma vez à campainha e vão-se logo embora, deixando na caixa do correio um papelinho já preenchido como não estávamos em casa.

Ora, como o papel ainda leva tempo a preencher, e como eles colocam na caixa do correio no tempo que nós levamos a abrir a porta, presumo que já ia preenchido que eu não estava em casa.

Lá tive eu que escrever, que vi um carro da segurança social a arrancar a toda a pressa, depois de eu ter aberto a porta... pois... Apetece-me mais uma vez dizer ... sr. guarda, malandros, bandidos ...corra que ainda os apanha esses [asneira].

Hoje já vou longo, mas se não falo rebento... como diz a outra no filme "O Pai Tirano".

Acresce que a OMS (Organização Mundial de Saúde), estima que ao nível mundial as "depressões" vão atingir 50% da população.

Não, não me enganei, 50%, são os números do relatório estimativo para 2012.

Ora "depressão" implica em muitos casos baixa, e baixa depressiva, não aconselha a ficar em casa...

Coitados de nós se isto contínua assim... pois com os antidepressivos que andam a tomar e que os fazem estar alegres são muito capazes de dizer um que se [asneira] e depois olha lixam-se mesmo.

Temos de resolver isto, já hoje, e já hoje é agora.

Porque é que não existem como nos outros países convenções público-privadas para que todos os médicos atendam todo e qualquer doente? Como acontece em grande parte dos países europeus?

Será que não ouviram o alerta dos médicos dentistas? Será que não sabem que uma boca sã é meio caminho para andarmos todos saudáveis?

E este exemplo dos dentistas é um em muitos.

Será que temos de todos de ser empurrados obrigatoriamente para os seguros de saúde?

Porque os que auxiliam na gestão o poder político ou não tem imaginação, ou só tem ideias peregrinas, ou andam a ganhar com isto.

Não olham para os países em que realmente a saúde é o bem público nº1?

Quanto tempo temos de andar a levar com eles?

Ponham-nos em lista de espera...OLÉ.

Todos os homens são maricas quando estão com gripe- António Lobo Antunes






Pachos na testa, terço na mão

Uma botija, chá de limão

Zaragatoas, vinho com mel

Três aspirinas, creme na pele

Grito de medo, chamo a mulher

Ai Lurdes, Lurdes, que vou morrer

Mede-me a febre, olha-me a goela

Cala os miúdos, fecha a janela

Não quero canja, nem a salada

Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada

Se tu sonhasses, como me sinto

Já vejo a morte, nunca te minto

Já vejo o inferno, chamas diabos

Anjos estranhos, cornos e rabos

Vejo os demónios, nas suas danças

Tigres sem listras, bodes de tranças

Choros de coruja, risos de grilo

Ai Lurdes, Lurdes, que foi aquilo!

Não é a chuva, no meu postigo

Ai Lurdes, Lurdes, fica comigo

Não é o vento, a cirandar

Nem são as vozes, que vêm do mar

Não é o pingo de uma torneira

Põe-me a santinha, à cabeceira

Compõe-me a colcha, fala ao prior

Pousa o Jesus, no cobertor

Chama o doutor, passa a chamada

Ai Lurdes, Lurdes, nem dás por nada

Faz-me tisanas, e pão-de-ló

Não te levantes, que fico só

Aqui sozinho a apodrecer

Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.






ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS NÃO HÁ? PRINCIPALMENTE SE NÃO ESTIVEREM EM LISTAS DE ESPERA.

6 comentários:

Tia Gio disse...

Parece-me que vou gostar de te seguir... obrigada pela visita no meu blog de receitas mas tenho outro que é capaz de te interessar um bocadito mais

http://asescolhasdegioconda.blogspot.com

Depois diz qualquer coisa
Vou voltar para ler este post com mais calma...

Anónimo disse...

Realmente a saúde em Portugal... Não está muito bem... nada bem! Temos que contestar, isistir, reclamar... temos por inerência (como seres humanos) ... direito a MAIS!! Fixeste bem por denunciara suituação!!

Marta disse...

Já tinha estranhado tão longa ausência ...
Ainda bem que está tudo quase bem, estes desabafos escritos de uma forma clara e humorística fazem falta e apesar de tratarem de assuntos sérios confesso que me trazem boa disposição.
Votos de rápido restabelecimento, embora isso possa significar o regresso ao mundo onde o muito trabalho não é sinónimo de uma grande remuneração (lol).

Marta disse...

Já tinha estranhado tão longa ausência ...
Ainda bem que está tudo quase bem, estes desabafos escritos de uma forma clara e humorística fazem falta e apesar de tratarem de assuntos sérios confesso que me trazem boa disposição.
Votos de rápido restabelecimento, embora isso possa significar o regresso ao mundo onde o muito trabalho não é sinónimo de uma grande remuneração (lol).

Alessandra Borsatti disse...

É meu amigo, por mais que a saúde em Portugal está ruim, há outros lugares piores (não vou dizer que é aqui, pois há regiões neste planeta que nunca ouviram falar em saúde pública).
Parabéns pela matéria ... e estimo as melhoras!

Cabo Napol "eao" disse...

Tia GIO - O seu blogue está nos meus favoritos.

Marta - Já me encontro melhor, obrigado, e tens razão, voltar ao trabalho não é sinal de grande remuneração.

Alessandra - Obrigado pelo teu post, e realmente temos de fazer mais pela saúde no planeta