As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

domingo, 13 de julho de 2008

Aux armes citoyens

Caros Bloguistas Militantes
Dizem os espanhóis, "en las brujas yo no creo pero que las hay... hay"... parece que nada se passa ...mas eles andam por aí a conspirar e a transpirar contra nós.
É o que eu penso dos poderosos que nos controlam a vida, não me refiro aos governos dos países, esses não passam de mais umas marionetas do xadrez da economia mundial, refiro-me ás grandes multinacionais, que nos empurram para este estilo de vida que eu e muitos não gosta.
Somos aquilo que temos, valemos e somos considerados pelo que temos, não pelo que somos, pensamos ou agimos.
Isto tudo para ser o que tenho e nada para ser o que sou.

O paradigma de ser ou não ser que Hamlet, na sua longinqua Dinamarca se interrogava, passou a ser o TER OU NÃO TER, nestes tempos modernos.
Tou farto de trabalhar para nada, para acumular ainda mais dívidas... para pagar: a casa, o carro, a faculdade, saúde, a roupa da moda.
Citando Sérgio Godinho "Vi-te a trabalhar o dia inteiro, construir as cidades pr'ós outros, carregar pedras, desperdiçar,muita força pra pouco dinheiro, Vi-te a trabalhar o dia inteiro, Muita força pra pouco dinheiro."
É assim que me sinto, é assim que se sentem milhões de trabalhadores, milhões de europeus, milhões de EX-Classe Média.
Sim, a crise não é só nossa, é verdade.
Mas isso vale-me de que? ... A não ser de ter o contentamento, que quando houver uma revolução não estarei só, serei compreendido e acompanhado por os demais que estão na minha condição...
Mas até lá de que é que me vale isso?
As grandes multinacionais montam-nos armadilhas individuais- Eles são os seguros, eles são os créditos bancários mascarados de compra de casa, de carro, das férias...
Estas multinacionais financeiras, fazem-nos pensar que a força está do lado deles, fazem-nos crer que estamos sós... que somos um único barquinho a vogar no mar sujeitos ás intempéries, sem salvação ou socorro possível.
MAS NÃO ESTAMOS ... E É QUE NÃO ESTAMOS MESMO...
Essa multinacionais financeiras, que até teem na mão os peões de brega, ex-classe média como nós, que por eles fazem o trabalho sujo, a troco de meia dúzia de ilusões e previlégios, que nos engrossam a voz e as ameaças para ver se pagamos... mas não muito depressa para eles terem juros... pois aí está o segredo... bons pagadores não interessam... os maus podem sempre ser um pouco mais chulados... é um pinga, pinga para os grandes bolsos deles.
Os maus pagadores, já pagaram parte da dívida e os Usurários depois ainda podem ficar com os bens deles.
A ganânica foi tanta que mataram a galinha dos ovos de ouro, e surgiu a rixse do sub-prime, e esta crise que é global e que os economistas não preveem quando melhora,
Só dando o exemplo do panorama nacional, a Caixa Geral de Depósitos e outros bancos, são um dos maiores proprietários do país, pois os clientes que pagaram ao longo dos anos, e de repente devido á conjuntura não puderam pagar mais, tiveram de devolver as suas casas, os seus bens.
Agora, com a galinha dos ovos de outo morta, estendem o crédito á habitação até aos 80 anos.
Até aos 80 anos? Onde é que vamos parar, qualquer dia chegamos outra vez ao tempo , que os vindouros pagarão pelas dividas dos seus antecessores.
Foram eles que fiseram os anúncios para nos iludir e fizeram com que contraíssemos mais dívidas, julgando que era fácil.
Sem dúvidas, foram as informações que nos deram ou que não nos deram, por outras palavras nos esconderam a informação, a nós incautos consumistas...
Foram eles, com o nosso incauto consentimento, que nos fizeram afogar em dívidas e dúvidas passados uns anos...
E agora servem-se de peões de brega, que também tem dúvidas e dívidas...pois também tem a ilusão de que são aquilo que teem ..., para nos intimidar e ameaçar com processos e problemas e penhoras e outras coisas que nunca ninguém ouviu falar, pois não falam advoguês.
É, eu hoje estou revolucionário, e não é de agora, é algo que vem crescendo, citando Sérgio godinho "Não me digas que não me compr'endes, quando os dias se tornam azedos, não me digas que nunca sentiste, uma força a crescer-te nos dedos,e uma raiva a nascer-te nos dentes, Não me digas que não me compr'endes".
Já chega, basta... a Revolução Francesa fez-se por menos e com menos.
Já chega de sermos gozados, de sermos espezinhados, de estarmos sujeitos a esta escravidão moderna sem rota, sem rumo, e mesmo que tivesse rota e rumo... escravidão é escravidão e já chega. BASTA.
A LIBERDADE é me querida... e eu quero-a.
Se os Franceses do sec XVIII acordaram, e eram menos letrados que nós, porque contínuamos adormecidos?
Abram os olhos mulas que já é dia... utilizando uma expressão popular portuguesa.
Nem tudo o que é moderno nos serve, nem tudo o que é antigo serve para deitar fora, à falta de poetas novos que nos inspirem, socorremo-mos dos antigos, e o Hino FRANCÊS, é um exemplo disso... levou milhões á vítória, milhões mudaram o curso da história, acabando com o despotismo de um rei que não via o mal que fazia ao seu povo.
E se o hino levou um povo à mudança e o inspirou, levará, estou certo, as vezes que for preciso.
A força que um hino tem, quando é para mobilizar, ve-se bem no filme Casablanca, quando os passos de ganso, ou seja os opressores alemães, começam a cantar uma canção de hino de vitória e subjugação, e todos no "café do Rick" ficam a ouvir os opressores, mas com "uma força a crescer nos dedos,e uma raiva a nascer nos dentes", e eis que surge um lider e manda a banda tocar a Marselhesa, e todos, como se uma mola tivessem levantam-se e canta o hino mostrando que não querem, não estão e vão lutar para não serem subjugados.
Sim é pela Liberdade que lutam.
Sim é contra a tirania que cantam.
Sim porque é a força de um hino, que os junta, que lhes dá voz e força e mobiliza os oprimidos.
Sigamos o seu exemplo, lutemos pelos nossos direitos. Se não nos ouvem e se necessário for a força, então vamos por aí.
Assim é que não podemos ficar.
A nossa posição e situação não é diferente á dos franceses do Sec. XVIII.
A nossa mágoa e necessidade não é diferente dos frequentadores do café do RICK em Casablanca...
É uma necessidade generalizada e globalizada.
10 MILHÕES, era o número de desempregados no ano 2000 na europa comunitária, a totalidade da população portuguesa, agora são muito mais, e não me digam que se esses se juntarem por toda a europa não vão ter força.
10 milhões são várias legiões, de pobres, de sem abrigo, de desalojados, de oprimidos, de desempregados, de necessitados, de despeitados, de pessoas que já não tem nada a perder, e quem não tem nada a perder tem tudo a ganhar.
Falta uma resistência organizada, faltam um lider europeu para comandar, ou vários lideres nacionais para mobilizar toda essa gente... essa gente que quer ser mais do que o que tem, essa gente que quer ser o que é, que quer ser pessoa, que quer ser Ser Humano e por isso considerada.
Estou esperançoso que vamos senti-los a todos, nos modernos campos de batalha, essa força ressurgirá brevemente quando as consciencias voltarem a ser consciencias, fartas do corrompimento que estao sujeitas a toda a hora.
O lider surgirá, e com ele ecoará por todo mundo uma qualquer Marselhesa que nos vai dar alento e força para seguirms até ao fim.
A verdade contida neste e noutros hinos, sublevar-se-á e aí podemos gritar com força e convicta e finalmente VIVERÁ A DEMOCRACIA. O GOVERNO DO POVO PARA O POVO.
Já chega. Basta de tirania.
E como todos sabemos, "Os Políticos são como as fraldas devem ser mudados e pela mesma razão" ... mas não esqueçamos... dos que os comandam (voces sabem de quem estou a falar)... se temos de mandar fora as fraldas mandemos o contéudo completo para o lugar onde as fraldas sujas vão.
Será que estes não merecem o que fizeram a Maria Antonieta, no meio da revolução francesa que quando lhe disseram o Povo está lá fora a protestar porque não tem pão. E ela responde não têm pão? que comam croissants...
La Marseillaise Composé par Rouget de Lisle, à Strasbourg en 1792,
letra ................................................................................tradução
1
Allons enfants de la Patrie --------------------------Avante, filhos da Pátria,
Le jour de gloire est arrivé ! -----------------------O dia da Glória chegou.
Contre nous de la tyrannie -------------------------Contra nós, a tirania
L'étendard sanglant est levé -----------O estandarte ensanguentado está erguido.
L'étendard sanglant est levé -----------O estandarte ensanguentado está erguido.
Entendez-vous dans les campagnes --------------Escutai nos campos
Mugir ces féroces soldats? -------------------------Rugirem esses soldados ferozes?
Ils viennent jusque dans nos bras. ---------------Vêm até aos nossos braços
Égorger nos fils, nos compagnes! ------Degolar nossos filhos, nossas companheiras.
Aux armes citoyens, -------------------------------------Às armas cidadãos!
Formez vos bataillons. ----------------------------------Formai os vossos batalhões!
Marchons! Marchons! -----------------------------------Marchemos, marchemos!
Qu'un sang impur ----------------------------------------Que um sangue impuro
Abreuve nos sillons -------------------------------------Ensope os nossos arados
2
Français en guerriers magnanimes ------Franceses, guerreiros magnânimos,
Portez ou retenez vos coups. -------------Levai ou retenham os vossos tiros!
Épargnez ces tristes victimes -------------Poupai essas tristes vítimas
A regrets s'armant contre nous! ----------A contragosto armando-se contra nós.
A regrets s'armant contre nous! ----------A contragosto armando-se contra nós.
Mais ce despote sanguinaire -------------Mas esses déspotas sanguinários
Mais les complices de Bouillé ------------Mais os cúmplices de cara simpática,
Tous les tigres qui sans pitié --------------Todos os tigres que, sem piedade,
Déchirent le sein de leur mère! ----------Rasgam o seio de suas mães!
Aux armes citoyens, -------------------------------------Às armas cidadãos!
Formez vos bataillons. ----------------------------------Formai os vossos batalhões!
Marchons! Marchons! -----------------------------------Marchemos, marchemos!
Qu'un sang impur ----------------------------------------Que um sangue impuro
Abreuve nos sillons -------------------------------------Ensope os nossos arados
3
Amour sacré de la Patrie -----------------------Amor Sagrado pela Pátria
Conduis, soutiens nos bras vengeurs ---Conduz, sustém os nossos braços vingadores.
Liberté, Liberté chérie -------------------------Liberdade, liberdade querida,
Combats avec tes défenseurs! -----------------Combate com os teus defensores!
Combats avec tes défenseurs! -----------------Combate com os teus defensores!
Sous nos drapeaux, que la victoire --------Sob as nossas bandeiras, que a vitória
Accoure à tes mâles accents ------------------Chegue logo às tuas vozes viris!
Que nos ennemis expirants ------------------Que os teus inimigos agonizantes
Voient ton triomphe et notre gloire! -----Vejam o teu triunfo, e nós a nossa glória.
Aux armes citoyens, --------------------------------------Às armas cidadãos!
Formez vos bataillons. -----------------------------------Formai os vossos batalhões!
Marchons! Marchons! ------------------------------------Marchemos, marchemos!
Qu'un sang impur -----------------------------------------Que um sangue impuro
Abreuve nos sillons --------------------------------------Ensope os nossos arados
A minha BRIGADA está formada e pronta para o COMBATE, e a tua?

domingo, 6 de julho de 2008

Fungágá da bicharada

Caros Bloguistas Militantes

A nossa Brigada hoje para o blogue "A razão tem sempre cliente", um blogue sarcástico sobre o nosso dia a dia no planeta em particular mais atento a este nosso cantinho sempre com razões tão pululantes. Aqui vai o destaquem do chefe para hoje http://razao-tem-sempre-cliente.blogspot.com/ Basta clicarem em cima do link para lá irem visitá-lo

Caros Bloguistas Militantes

O ano passado, este nosso Portugal á beira mar plantado, bateu o "record" de abandono de animais.

Quando digo Portugal, o nosso país, não me refiro ao território... não é o território que abandona animais, somo s todos nós... o povo.

Digo isto para não vermos as coisas como frias estatísticas... não... nada disso... sou eu, tu ou o que está ao teu lado, o teu colega de escritório, o que se senta ao teu lado no autocarro, o dono do café onde vais, etc... etc... sim são estes que abandonam os animais.

Melhor dizendo, nós é que somos animais... bom se calhar nem tanto porque os animais não fariam isso... resumindo somos uns trastes...

Esta notícia deixa-me triste e consternado (seja lá o que for o que consternado signifique, verifique no dicionário através do Google, o certo é que fiquei), mas não me espantou nada pois o nosso país também é um daqueles que tem um triste "record" de abandono de crianças.

O que são os animais mais que as crianças? Se abandonamos crianças os animais também tem o direito de ser abandonados.

Estes dois exemplos são bem reveladores do tipo de sociedade que estamos a viver, dos valores que já destruímos ou perdemos...

E caros bloguistas militantes, se isto é que é chamada a "Sociedade evoluída", uma sociedade que não respeita crianças, animais, plantas, então rejeito veementemente esta evolução, não sei por onde vou só sei que não vou por aí como diria o poeta José Régio.

Se esta é a evolução da sociedade, mais vale o retrocesso. Pois esta evolução é lenta e progressiva de autoaniquilamento da própria sociedade.

Reparem bem já nem os nossos direitos respeitamos, e se não respeitamos os nossos como é que respeitaremos tanto os animais como as crianças que tem direitos proclamados internacionalmente?

Para nos lembrarmos delas, fizemos os dias internacionais das crianças e dos animais, 1 de Junho e 4 de Outubro respectivamente.

Mas esperem lá, devo estar enganado, é que pelo menos nos últimos tempos, as coisas devem ter mesmo mudado, é que quem tem esses tipos de direitos e dia internacional consagrado seja para estarem marcados para serem molestados.

Existe uma frase que é atribuída não sei a quem que diz: "A evolução de uma sociedade -se pela maneira como tratam os seus animais.

Portanto a alinhar por esta bitola, a nossa sociedade não passa de uma sociedade australopiteca, com as minhas desculpas para os australopitecos, porque acho que não tratavam tão mal os dinaussauros (também já viram o tamanho dos bichos... imaginem); mas julgo que tratavam melhor da natureza e dos seus que qualquer presente homo sapiens.

Caros Bloguistas Militantes, faz 5 ou 6 anos que fiz uma visita ao canil/gatil da câmara de Lisboa, e vim de lá angustiado, não só pelas condições (embora o canil/gatil esteja muito melhor do que o que estava, mas o muito melhor não quer dizer que seja o ideal), as condições do canil não são boas, as dos orfanatos também não o são.

Os animais estão no canil/gatil para abate, a menos que alguém os adopte, mais ou menos parecido com os orfanatos , as crianças não estão lá para abate, mas se não forem adoptadas... mais facilmente entrarão na marginalidade que quer queiramos quer não é uma espécie de abate.

Vi no canil/gatil 3 enormes e tristes São Bernardo para abater, só porque tinham sido abandonados pelos donos, já passaram alguns anos, e agora que escrevo ainda os visualizo, a eles e aos de raças mais pequenas que por lá estavam e por esta altura já não devem estar vivos... e confeso-vos ao longo dos anos, cada vez que me lembro, chamo nomes aos donos que os abandonaram... e aqui sublinho foram uns autênticos FDP... mereciam também ser abandonados e ostracizados.

Sabem na altura pensei, fomos o primeiro país a abolir a pena de morte, e afinal é uma mentira tão grande... não abolimos a pena de morte, mudamos-lhe tecnicamente o nome para ABATE.

Somos uns hipócritas, achamos piada aos animais quando são pequenos, e depois quando são mais adultos ou velhos... abandonamo-los.

Também não é novidade, pois também ás crianças nós abandona-mo-las, e aos velhos mandamo-los para um lar...

Bem dizia Júlio César... Ah a Família...

Fungágá da bicharada Letra e música: José Barata Moura (canção infantil)
[refrão]
É o fungágá,
fungágá da bicharada
É o fungágá, fungágá da bicharada
la la la la la la la la ra la la

Vamos falar de animais e de como eles são
Do piriquito do gato e do cão
E outros mais também virão
Talvez uma girafa um macaco ou um leão
[refrão]
Vamos todos aprender como vive a bicharada
O que é um cardume e uma manada
Vamos ver não tarda nada
Quem é que afinal tem a voz bem afinada
[refrão]
Vamos também descobrir uns amigos bestiais
Bem diferentes dos habituais
E vamos rir até não poder mais
Com as palhaçadas dos amigos animais
[refrão]

Ele há cargas fantásticas não há? Na brigada não há trabalho infantil ... E por respeito aos cavalos, hoje a Brigada ataca a pé... ok vai de táxi...