As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Doggy Bag... ou o Saco dos restos para o cão

Olá Caros Bloguistas Militantes

Sempre fiquei consternado com as imagens que na TV passa e com a ideia de que existe fome no mundo.

Penso. Como pode isto acontecer?

Quando aqui mesmo neste nosso Portugal, vejo desperdiçar comida ... nos restaurantes, em cantinas, em bares... enfim o desperdício é enorme...

Mas o desperdício não é maior do que os olhares que através das objectivas da TV nos imploram por alimento... pois essas bocas já nem forças para gritarem têm... como desperdiçamos assim as vidas humanas?

E nós, silenciosamente, vamos desperdiçando os pedaços de comida, que, pelo menos, dariam força para esses seres gritarem por alimento... e fazerem ecoar o desespero.

Sempre assisti, em silêncio, mas horrorizado, àquelas manifestações de agricultores, que atiravam leite fora, laranjas para o lixo, destruíam tomate e sei lá mais o quê.

Vem-me sempre à memória o enorme Sr. Creosonte, do filme "O sentido da vida" dos Monty Python... que rebenta literalmente de tanto comer.

Para mim a ideia de um ser humano morrer à fome, é no mínimo abjecta, ver directamente na TV à hora dos telejornais quando estamos a jantar e não ver ninguém a indignar-se e mexer-se para dizer basta, não me entra na ideia.

E quando digo basta, não é das reportagens, não... É um basta à passividade política e económica que assobiam para o lado perante estas situações.

Como pode o mundo ocidental dizer aos 4 ventos vanglorianado-se que estamos no primeiro mundo, no mundo tecnologicamente avançado, se não conseguimos ajudar os da mesma espécie a sobreviver?

Não será esta uma guerra encapotada?

Existe sobre-população no mundo, somos mais seres humanos do que o planeta consegue aguentar, mas ninguém faz nada para contrariar esta tendênicia.

Alimenta-se uma postura de avestruz, contribuímos para que estes números se agravem, cavamos mais o fosso que nos separa desses nossos semelhantes, e contribuímos para que a população mundial aumente e o já preclitante desequilíbrio que isso causa seja mais acentuado.

Os hábitos rurais da idade média, não se perderam.

Quem tem fome e tem terras, como é o caso de muitos Africanos e Brasileiros, só para mencionar alguns, age como ainda nesse tempo estivesse.

E porque é que eu afirmo isto?

Porque estes nossos irmãos ainda praticam a cultura da idade média, em que eram necessários muitos braços para trabalhar a terra, para que se possa subsistir económicamente, e onde a mortalidade infantil era e ainda é elevada.

Nós, os ocidentais orgulhosos, que temos a tecnologia, não a partilhamos, pois se a partilhassemos, os nossos irmãos também quereriam contribuir para o equilíbrio da terra, assim como alguns de nós queremos.

Mas, não ... eles tem preocupações mais básicas a suprir... não podem estar com contemplações, chegar vivo ao fim do dia de hoje é uma batalha, nesta guerra que nós teimamos a não dar conta dela.

Mas algo temos de fazer, temos de começar por algo.

Por isso, lanço uma ideia, que apesar de ser seguida em alguns orgulhosos países desenvolvidos, é uma ideia a reflectirmos e a praticarmos.

A ideia é a seguinte:

Quem vai a restaurantes, paga a comida que pede.

Ora se paga a comida que pede, tem direito a ela.

Se não a come toda, porquê enviá-la para trás, para a cozinha onde será deitada no lixo?

Em alguns países, os restaurantes, dão á saída o "DOGGY BAG", ou seja, um saco com a comida restante que deixou na travessa, para o cliente levar para casa e que pagou.

O cliente recusar, é uma vergonha e os restaurantes não a aceitam de volta, e sejam eles restaurantes de luxo ou grandes cadeias de fast food.

Ou seja é a antítese do que cá se pratica, aqui no nosso burgo, vergonha é pedir os restos para se levar para casa... sim porque aqui temos de pedir... nos outros países dão-nos à saída.

Se alguém pedir os restos em Portugal, porque legitimamente tem o direito de o fazer, ainda se tem de justificar perante o grupo de amigos que os olha com desdém ou algo parecido.

Basta da nossa hipocrisia, se permitimos que os restos vão para o lixo, estamos no mínimo a contribuir para esta guerra, e não nospodemos queixar dos que nada fazem e podiam politicamente e economicamente agir.

Comecemos nós a pedir a paz.

Pressionemos, para que a "política dos DOGGY BAG" seja implementada no nosso país, rapidamente e em força, pois este será o primeiro passo entre muitos outros que temos para dar, para evitarmos o desperdício de comida, e para alertarmos as consciências políticas e económicas que temos de agir e erradicar a fome do planeta.

Cantata de paz - Sophia de Mello Breyner Andresen

Vemos, ouvimos e lemos
Não podemos ignorar
Vemos, ouvimos e lemos
Não podemos ignorar

Vemos, ouvimos e lemos
Relatórios da fome
O caminho da injustiça
A linguagem do terror

A bomba de Hiroshima
Vergonha de nós todos
Reduziu a cinzas
A carne das crianças

D'África e Vietname
Sobe a lamentação
Dos povos destruídos
Dos povos destroçados

Nada pode apagar
O concerto dos gritos
O nosso tempo é
Pecado organizado.

Ele há cargas fantásticas, não há?

domingo, 21 de outubro de 2007

quem ve tv...

Caros Bloguistas Militantes,

Já repararam, que nos telejornais,as notícias são repetidas de 2 em 2 ou de 3 em 3 meses?

Estejam com atenção, e verificarão que existem certas notícias que de vez em quando vêm "à baila", principalmente aquelas que não tem grande interesse.

Até parece que em Portugal nada se passa, para andarem a repetir notícias, em Portugal e no mundo.

E não, não culpemos o governo, porque isto -se mais na SIC e na TVI...na RTP também... por isso está distribuído por todos.

Isto para não falar, que o alinhamento dos telejornais parece uma competição.

Eu cá por mim eles alinham o telejornal consoante o que uns e outros fazem... ali em cima do joelho... a guerra das audiências.

Se fizerem zapping reparam que a hora das televisões está uns segundos desfasada entre os 3 canais generalistas ( TVI, SIC E RTP).

Verificam também que à hora dos telejornais, pelo menos 2 das notícias de abertura são iguais, quando não são as 3 televisões a dar a mesma notícia.

Cá por mim os jornalistas, durante a primeira meia hora dos telejornais, devem estar todos ligados a um cérebro-mãe, pois o alinhamento é quase sempre o mesmo ou idêntico, ou então tem o dom da prestidigitação.... esta palavra custa a escrever à brava.

Deve ser isso ... só pode.

Standarizado, isto está... e o pior é que não é só cá,um zapping mais profundo, vemos que está tudo igual pelas televisões do mundo.

Ah , já sei...eles aprenderam todos pela mesma cartilha... ou então assinaram um contrato de exclusividade com alguém, pois as séries são as mesmas, os concursos são os mesmos...só mudamos apresentadores e a língua...

Isto parece uma cadeia de MCDonald's tudo de plástico...tudo igual...

E a Liberdade? E a livre escolha? E a democracia?

Vocês não me digam que... não não pode ser...

Os jornalistas todos comprados? Nãooooooo, não acredito...

Pelas multinacionais da comunicação? ... nãooooooooo, não pode ser.

Para que é que eu quero uma TV por cabo se os canais são todos iguais só dão tele-lixo, e andam sempre a repetir as mesmas coisas?

Até o Odisseia, o Canal História, o Discovery, o Nacional Geographic repetem as mesmas coisas, ciclicamente durante o dia e durante 6 meses.

Mas todo o mundo "Emburrou" de repente?"

Se eu fosse adepto da teoria da conspiração... diria que isto está tudo muito bem maquinado para manter a maioria de nós em casa.


Taxi - TV WC - eu prometo que um dia destes coloco a letra completa

Que tremenda situação
De quem muita televisão
A não ser que queira dormir sem fim
Então é melhor que Lorenin

E se falo desta maneira,
É por ela ser tão foleira,
Não transmite nada de jeito,
leva-me a taxa sem dar proveito.

Quem vê TV,
Sofre mais que no WC"

sábado, 20 de outubro de 2007

Está tudo "TRATADO" em Lisboa

Caros Bloguistas Militantes

Estou contente.

Confesso que estou.

O facto do nosso Primeiro-Ministro, "José Sócrates", que tem em simultâneo a Presidência do Conselho da União Europeia, e o Presidente da Comissão Europeia "J. Durão Barroso", terem obtido dos 27 países que compõem a União Europeia, este Tratado assinado em Lisboa, deixou-me satisfeito.

As razões são muitas, para quem estudou Direito Comunitário e cruzou os seus conhecimentos com a história do direito e ainda com a disciplina da história em geral, consegue vislumbrar aqui um tratado positivo.

Positivo porque finalmente para os alunos de direito e para a ciência jurídica em geral, esperemos que os tratados se fundam só num e os métodos se simplifiquem.

Positivo também, porque a ideia de uma Europa Una, já é uma ideia antiga, os Césares romanos pretendiam-na (não de maneira tão evidente como nós hoje a queremos, mas o facto é que quase conseguiram ter uma Europa una); depois o Imperador Napoleão, esse Homem de visão larga, "a gaivota que mais longe porque voa mais alto", queria uma Europa unida com princípios, tanto culturais, como económicos, como políticos (quem for aos "INVALIDES"(Paris) bem o alcance das suas políticas) e quase o conseguiu, não fora uma única batalha ali para os lados de Waterloo na Bélgica.

Estes dois exemplos anteriores, queriam sobretudo que a Europa estivesse em paz.

Quando a CECA (Comunidade Económica do Carvão e do Aço) foi instituída, foi o princípio desse ideal a ser alcançado, depois dos horrendos anos da II Guerra Mundial.

A Europa, tem tido avanços e recuos, e eu confesso que os anos da guerra fria vivi com receio de um holocausto nuclear perpretado pelos EUA ou pela URSS, confesso que estou mais descansado...mas não totalmente.

De tratado em tratado chegámos a Lisboa.

As coisas andaram feias, os eurocépticos ganharam terreno, mas eis que a diplomacia Portuguesa entra em acção no momento certo, a presidência da União veio parar a Portugal no certo momento.

Eu digo muitas vezes menos bem do nosso país, mas quando nos empenhamos a sério, as coisas ficam bem feitas.

Como diz parte e "A Portuguesa" , "brada a Europa á terra inteira. Portugal não pereceu".

Espero que isto se traduza em benefícios para todos os europeus, tanto culturais, como sociológicos, como filosóficos, como económicos, basta desta pasmaceira, basta deste limbo.

Vimos um Primeiro-Ministro José Sócrates descontraído a cumprimentar um não menos descontraído Durão Barroso, e bem engraçado quando lhe disse...

"Foi porreiro, pá!"

E não é que foi mesmo.... e ficou tudo Tratado em Lisboa.


Tanto Mar - Chico Buarque

Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim
Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor do teu jardim
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim.

Ele há cargas fantásticas, não há? ... E tratados, que colocam um fim nelas também.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Queijo nem no como nem no vejo

Ola Bloguistas Militantes

Adoro Queijo.

“gosto mais de um queijo sem jantar do que um jantar sem queijo”

Pronto é assim, adoro queijo, acho delicioso.

Cheire ele bem, cheire ele mal, seja verde, azul ou amarelo.

Gosto de queijo.

Um amigo diz, queijo !!!??? essa coisa que é pasto de bactérias, nem no ver... quanto mais cheirar... e se por acaso o apanha no frigorifico dele... dá-o ao cão ...

Mas eu não, eu adoro queijo!

E sabem de onde vem o queijo?

Segundo a lenda, o queijo teria sido descoberto por um dos filhos de Apolo, Aristeu, Rei de Arcádia.

Como diria Hipócrates - 450 a.C "És forte porque estás próximo da origem da criatura. És nutritivo porque mantens o melhor do leite. És quente, porque és gordo..."

Como se faz queijo?
http://pt.wikipedia.org/wiki/Queijo

e vejam a história do queijo em
http://www.gastronomias.com/queijos/inicio.htm


Gosto de todos os queijos que me foram apresentados até agora...

Ai uma tábua de queijos...
Queijos Franceses
Brie, Camembert, Chèvre, Roquefort ... hum ... são tão bons... é de lamber as beiças ...

E os queijos portugueses
Serra da estrela, Nisa, Azeitão, Cabra transmontano...hum ... são tão optimos...que é de pedir mais.

O queijo é tão bom que até fizeram uma canção sobre ele.

Bom e com isto deu-me a fome vou comer uma sandes de ... Presunto...



Solta-Se O Queijo- Ala Dos Namorados

Espreito por uma porta encostada
Sigo as pegadas de luz
Peço ao gato "xiu" para não me denunciar
Toca o relógio sem cuco
Dá horas à cusquice das vizinhas e eu,
Confesso ás paredes o que eu gosto
o queijo é todo o meu bem
Aconchego-me nesta cumplicidade, deixo-me ir
Nos trilhos traçados pela saudade de te encontrar
Ainda onde te deixei... no frigorifico

Trago-te o queijo prometido
Sei o teu cheiro, mergulho no teu sabor
Abraças a queijeira e voas para além da lua
Barro o queijo que se quer soltar
E tenho o pão para lho entregar
A cadeira, a codea, a faca de serrilha
é na codea que está o meu assombro...
E, nesse instante em que o silêncio
É o comer até mais não
Fecha-se a porta
Pára o relógio
As vizinhas recolhem
Tu olhas-me...
Tu olhas-me...
Peço ao gato "xiu" para não me denunciar

ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS, NÃO HÁ? ... E QUEIJOS ENTÃO NEM SE FALA ....

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Peça a factura

Olá caros Bloguistas militantes
Como já vos disse no post anterior, fui ás finanças.
Ir ás finanças, faz-me sempre lembrar uma tira do QUINO, que vou tentar digitalizar e colocar aqui, pois contado não tem piada.
Continuando, fui ás finanças, entregar o meu IRS de 2005 e de 2006.
E fui muito a tempo, afinal não é só o Estado que tem direito a se atrasar, a se enganar nas contas, e aquelas coisas todas a que estamos habituados.
Bom, entreguei atrasado mas entreguei, mais nada.
Vocês nem calculam a quantidade de papeis, leia-se facturas que foram rejeitados, mais valia ter colocado aquilo no Papelão para reciclar.
Bom foram rejeitadas muitas facturas ( a maioria), porque segundo a Lei, estas facturas não tem cabimento no IRS.
Não estou a colocar em causa a lei, se a lei, nós cumprimos, eu o problema não está na conjuntura, mas sim na estrutura.
A lei está idealizada para um Estado "polícia", para um "estado "sancionador", para um Estado "cobrador", pior para um Estado "cobrador cego".
Ora a cobrança de impostos deveria ser uma coisa inteligente, assim como eu acho que o é, nos países nórdicos.
Falo nesse países, referindo-me ao deve e haver das populações, ou seja lá pagam mas são bem servidos.
E porque é que eu acho que o actual estado das coisas do Estado está mal?
Eu passo a explicar... (ouvem-se harpas como nos filmes)...
Vejam a frase que estava escrita na repartição das finanças
"PEÇA A FACTURA SE FAZ FAVOR, FAÇA O PAÍS AVANÇAR"
Esta foi inventada pelo Ministério das Finanças, e que é uma frase, contraditória, antagónica e hipócrita, e que não está consoante os "cânones" do Estado de Direito.
Atenção eu não estou contra a frase, se o Estado procedesse conforme procedem os países nórdicos, mas não procede.
Contraditória e antagónica, porque nos faz pedir a factura, faz realçar o agente da "ASAE" que temos no nosso interior, mas depois isso não se traduz em mais receitas para o estado, não se traduz numa fiscalização cruzada pelo Ministério das Finanças, e não para o ciclo de ser sempre a classe média que trabalha por conta de outrem a pagar os impostos... porque não pode fugir deles.
E porque é que todos queremos fugir aos impostos?
Não é só pela palavra em si, poucos gostam de algo que lhe é "imposto", mas principalmente porque não vemos realmente onde o nosso contributo vai parar, não compreendemos o desperdício, não compreendemos o "jugo"de uma administração pesada e antiquada que ainda o é.
Onde querem chegar com esta linda frase, querem obrigar os comerciantes a declarar o imposto que os seus contabilistas fazem tudo para fugir, e assim o país recebe mais impostos, gera mais receita, e o deficit baixa mais rapidamente.
Eu sei, eu sei , que temos estado a avançar bastante, mas convenhamos, que confiança pode-nos dar um Estado (seja qual for o partido que esteja nos seus comandos, em teoria deveríamos ser todos nós o Estado) que nem sequer sabe o número de funcionários que tem?
Esta medida isolada, não chega a lado nenhum, porque não se pede nada a ninguém sem poder dar algo em troca.
E não venham com a teoria que todos nós beneficiamos, não não aceito isso, quero algo em concreto, algo que já deviam ter copiado dos países nórdicos.
Porque nós estamos num país onde muitos burlam a lei, a desconfiança na aplicação do dinheiro dos impostos é todos os dias cimentada e justificada com os vendilhões de política que temos nas autarquias e em alguma máquina do Estado.
Aceito que nem tudo é mau, mas isto é como a mulher de César, não basta ser tem de parecer também.
Se querem fazer bem as coisas copiem os países nórdicos.
Se querem que nós todos passemos a pedir facturas, então todas, mas todas as despesas sejam dedutíveis no Irs.
Porque os que ainda pagam impostos tem despesas, se tem despesas tem em teoria o poder de fazer movimentar a economia com os seus gastos.
Se se quer incentivar o consumo para se gerar emprego, os microgeradores de emprego somos todos nós, se somos nós esses empreendedores através do consumo, então temos de ter incentivos e benefícios, pois isto não é só o Estado pedir.
"O faz favor sr. contribuinte, peça lá a facturinha."
Ora como é algo que pedem que não tem beneficíos nem sanções, estão a ver nós a cumprir, não estão?
Claro que estão a ver uma multidão a correr a pedir facturas, tudo ao estalo, a gritar... essa facturaaaa é minhaaaaaaaa... pois ...pois...
Pois é, caros bloguistas militantes, isto não são só uns a colocarem dinheiro nos offshores e outros a pagarem do bom e do belo.
Se assumirem que não querem tributar mais os bancos, se não estes fogem para o estrangeiro, sim senhor eu até aceito o argumento.
Mas então beneficie-se aqueles que não podem, nem tem engenho, arte e dinheiro para o fazer, haja justiça e equidade fiscal.
E podem fazê-lo, beneficiando-nos a nós microcontribuintes, fazendo entrar todas as despesas que fazemos no IRS, todos ganharíamos. O Estado inclusive.
Não digo para ser descontado tudo a 100%, mas afirmo que deveríamos ir descontando consoante os objectivos do governo, leia-se qualquer governos e não este em concreto.
Se determinado governo quer dar ênfase à educação, então as despesas de educação deveriam ser as que mais descontassem no IRS desse quadriénio, se fosse a Saúde então seria a saúde a ter mais benefícios, etc...
Um exemplo, que só a mim cabe a responsabilidade e é um exercício puramente teórico:
As percentagens mostradas, é sobre o total das despesas, não tem nenhum tecto, a não ser os 100% de receitas ou seja daquilo que nós recebemos obviamente não pode ser mais que as despesas, a menos que tenhamos um empréstimo bancário, o que também vem contemplado.
Educação: 100%
Saúde 85% - e aqui inclui as consultas nas chamadas medicinas naturais, e os remédios naturais que pomposamente algum governo apelidou de complementos para não serem comparticipados ( a ordem dos médicos e as farmaceuticas, esses lobbys que ninguém quer fazer frente é quem põe mais entraves).
Refeições - 75%
Supermercado 60%
Artigos/reparações para o lar 40%
Artigos/reparações para o carro 25%
Seguros 25%
PPR e afins 25%
Bolsa/acções 20%
Vestuário 30%
Empréstimos bancários 25%
Diversão 10%
Aquisição de serviços fora do acima referido 20%
Livros 75%
Transportes 80 %
Mecenato 200%
quotas de clubes desportivos, culturais etc... 30%
Cinema/teatro 15%
informática 80 %

Ou seja tudo é tributável, tudo necessitaria de factura, umas coisas com mais incidencia, outras com menos, mas sempre a globalidade daquilo que gastamos, sem tectos, como se disse atrás.
Isso iría obrigar, a que todos declarássemos todos os rendimentos, pois quanto mais declararmos mais se alargaria o tecto da nossa dedução.
Pois caros bloguistas, nunca entendi porque nunca aplicaram este método.
Que interesses obscuros se movimentam para que esta solução não seja adoptada.
E SE FIZÉSSEMOS UM MOVIMENTO A EXIGIR A APLICAÇÃO INTEGRAL DESTA MEDIDA?
Ah, é verdade, acabem com as facturas em papel térmico ou lá que é aquele papel em que imprimem, e porquê?
Porque, eu entreguei o IRS atrasado, e metade das facturas não se via (ou seja passado 1 ano e meio).
Ora se nós temos de guardar as facturas durante 5 anos porque as finanças podem pedir uma inspecção ás nossas contas, como é que eles vão conferir papeis em branco ou ilegíveis?
Eram estas coisas que os sindicatos e o governo deveriam discutir na concertação social, porque se tudo isto fosse avante, o que pagaríamos ou deixariamos de pagar, traduzir-se-ia um reembolso no final do ano, e isso não é um aumento mas é um benefício.
Claro que o cruzamento dos dados seria obviamente obrigatório.
Assim mais cidadãos e empresas, entrariam no sistema, menos fugiam ao impostos.
Mas que sei eu disto?

Imposto - Djavan
IPVA, IPTU
CPMF forever
É tanto imposto
Que eu já nem sei!...
ISS, ICMS
PIS e COFINS, pra nada...
Integração Social, aonde?
Só se for no carnaval
Eles nem tchum
Mas tu paga tudo
São eles os senhores da vez
Tu é comum, eles têm fundo
Pra acumular, com o respaldo da lei
Essa gente não quer nada
É praga sem precedente
Gente que só sabe fazer
Por si, por si
Tudo até parece claro
À luz do dia
Mas claro que é escuso
Não pense que é só isso
Ainda tem a farra do I.R.
Dinheiro demais!
Imposto a mais, desvio a mais
E o benefício é um horror
Estradas, hospitais, escolas
Tsunami a céu aberto,
Não está certo.
Pra quem vai tanto dinheiro?
Vai pro homem que recolhe
O imposto
Pois o homem que recolhe
O imposto
É o impostor

Há cargas fantásticas, não há?

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Só me saiem é duques

Caros bloguistas militantes

Pois é tirei uma férias... para alivío de uns e de outros.

Mas continuo a escrever com erros... Herrar è umano.

Não se passou nada na terrinha nestas férias.

Futebol, Madie, política e pouco mais.

Quanto a mim estive a tirar um curso de Formação de Formadores, para me manter em forma...

Bom foi a minha praia...o meu campo...a minha neve... enfim podia-me dar para pior...

Eu segui o slogan, faça férias cá dentro... mas segui-o á risca... e fiz férias dentro da sala de formação...por isso tou com um bronze de parede e sotaque a power point.

Ah entreguei o IRS de 2005 e 2006, já estou de bem com o Estado e com as finanças.

Também cheguei lá, ás finanças, e disse à Senhora:
- Sabe eu queria ser como o Prof. Agostinho da Silva (não pagava impostos), mas a necessidade fez com que me pedissem o IRS, e cá vim eu... 9 meses mais cedo... era só para vir em 2008... para pagar as multas todas... pois ia... e se calhar vou... entregar o IRS de 2007 atrasado.

Adverti-a logo, olhe eu não percebo nada disto, sou de Direito mas preencher o IRS não sei, e ela disse-me: tem de fazer as contas... e eu pensei mas eu é mais letras... enfim...

E eu, como estou com tosse, de uma maleita que me veio (mas que já está a passar), disse-lhe, olhe que eu no fim ofereço-lhe um rebuçado.... daqueles de mel Santo Onofre...

O certo é que a diligente e bem disposta da funcionária, lá me preencheu aquilo direitinho... espero.

Estamos mesmo em crise, até os funcionarios das finanças já se "vendem" por rebuçados Santo Onofre, ainda vou a badajoz comprar caramelos pode ser que consiga um empréstimo bancário de borla como fez o filho de Jardim Gonçalves.

Mas fiquei a saber que não se pagam multas só por excesso de velocidade, por lentidão na entrega do IRS também se paga... e lá dei eu 100 euros ao Estado.

Sócrates agora ve lá, não gastes tudo no cabeleireiro.

Eu disse à senhora funcionária, que isto devia ser como na Dinamarca, todas as despesas servem para IRS, ... mas isso fica para eu escrever no meu blogue... e fa-lo-ei... noutro post.

Não é que eu queira fugir aos impostos, não quero, mas devia ser mais fácil a entrega.

Bom, tirando isso, como não me irritei nas finanças, tive de me irritar com as traduções da FOX CRIME... é que fazem jus ao canal... são um crime....

Não é que aqueles energúmenos, puseram a traduzir as legendas, alguém que só sabe e escrever Português do Brasil... as expressões idiomáticas e tudo.

Não tenho nada contra os Brasileiros e muito menos contra as Brasileiras, mas o Português do Brasil, está bem delimitado, é para Sudoeste, e muitas milhas para lá do Atlântico, para cá é Português made in Portugal, com erros e tudo a que temos direito.

Pagamos e somos mal servidos... safa.

Entrementes, tivemos o pré-congresso do PSD e o Congresso propriamente dito.

Não vou comentar o que políticamente foi dito, mas digo que o governo não gosta nada da oposição.

Eu explico, no pré congresso e no congresso, toda o pessoal a esfaquear-se, a matar-se, a degladiar-se, a inflamar-se, a atear fogos com gasolina, a insultar-se... e nós não vimos uma única ambulância do INEM, nem sequer uma maca dos Bombeiros, um helicoptero de combate a fogos florestais... NADA...

Daqui concluo, que o governo não gosta da oposição.

Mas confesso-vos, fiquei e estou confundido... a republica não tem quase 100 anos em Portugal?

É que passei o tempo todo a ouvir falar de barões... estranhamente e não sei porquê, não ouvi falar do barão vermelho... devo ter estado distraído ou eles tem um sério problemas com cores...

Bom mas dizia eu , barões para cá, notáveis para lá.

E eu não percebo o que se passa nestas televisões e nestes jornais.

A monarquia terminou, a república, é um sistema político onde todos tem as mesmas oportunidades.

Ora se a monarquia terminou o regime sucessório de ocupação de lugares também.

Mas não é isso que se vê, é no BCP, é nos partidos, é na diplomacia ... o Ministério dos negócios estrangeiros é uma coisa por demais, é nos clubes de futebol.

Mas ninguém avisou estes tipos que já estamos em democracia republicana?

O pessoal ainda trata o Sr. Duarte Nuno, por Duque de Bragança, mas ... mas ...

E as mordomias que se arroga esta gente?

Não defendo que sejamos pobretes e alegretes, mas mordomias do género, sou o Presidente da A.R. e tenho direito a ter uma bandeira pópria, sou o P.R. e também quero.

Mas que é isto?

Qualquer dia temos o país todo embandeirado em arco...

Bom isso já temos, não é?

Pão e circo.... pois.

Olhem... Só me saiem é duques!

A LENDA DE EL REI D. SEBASTIÃO - JOSÉ CID

Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei D. Sebastião
Perdeu-se num labirinto
Com seu cavalo real
As bruxas e adivinhos
Nas altas serras beirãs
Juravam que nas manhãs
De cerrado de NevoeiroVinha
D. Sebastião
Pastoras e trovadores
Das regiões litorais
Afirmaram terem visto
Perdido entre os pinhais
El Rei D. Sebastião
Ciganos vindos de longe
Falcatos desconhecidos
Tentando iludir o povo
Afirmaram serem eles
El Rei D. Sebastião
E que voltava de novo
Todos foram desmentidos
Condenados às gales
Pois nas praias dos Algarves
Trazidos pelas marés
Encontraram o cavalo
Farrapos do seu gibão
Pedaços de nevoeiro
A espada e o coraçãode
El Rei D. Sebastião
Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei Rei D. Sebastião
E uma lenda nasceu
Entre a bruma do passado
Chamam-lhe o desejado
Pois que nunca mais voltou
El Rei D. Sebastião
El Rei D. Sebastião
José Cid

Há cargas fantásticas, não há?

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Acabaram-se as Férias

A praia hoje estava tão convidativa.
O Sol beijava as águas com um brilho de verdadeiro prazer.
As ondas suaves, para um dia de Outono, brincavam com as rochas, enviando salpicos a quem passava.
Pareciam miúdos os 3 a pregarem partidas.
Os pesacadores aproveitavam a vida, deixando as minhocas tomarem banho... controladamente... sim porque isto da Liberdade é só para alguns.
E eu à espera do comboio para ir para Lisboa... ai se os compromissos o não fossem... mas os prazeres nunca são completos.
Já não ir trabalhar de tarde, já é prazer demais para um dia.
Mas ao ver o Sol e as águas, ali olhando para mim e convidando-me a juntar-se-lhes, fez com que eu quisesse estar lá.
Mas tal como Moisés, só via terra prometida ao longe...
É nestas alturas que eu me questiono porque não sou crente... já que pareço pagar pelos meus pecados.... ou não...


Muda de vida - Letra de António Variações
Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar
Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens...que ser assim?...
Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar
Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens... que ser assim?...
Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver
Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver
Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar
Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

HÁ CARGAS FANTÁSTICAS NÃO HÁ?

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Sr. guarda se for a correr ainda os apanha

Caros Bloguistas Militantes

Por incrível que pareça, existe uma profissão que consegue enganar advogados e pessoas formadas em Direito.

Ah pois é... andam a dizer que os políticos são uns aldrabões e que os advogados é pessoal do engano.

Que deveria ir tudo preso, e o diabo a sete.

Pois, fiquem sabendo, que quem deveriam prender são uns aldrabões que vou agora descrever.

Com cidadãos destes e empresas destas, o país não sai da cepa torta.

A redistribuição da riqueza é feita por uma balança desregulada.

Estudem, dizem eles, para melhorar o nível de vida... não dizem é de quem ...

Agora é que compreendi, o nível de vida deles.. .querem galinha gorda por pouco dinheiro, e parece que o estão a conseguir.

Sr. Guarda, sr. guarda acabo de ser vítima de um roubo.

Olha nem de propósito, um cidadão em apuros, então conte lá- diz o guarda.

Fui a uma entrevista de emprego,
2ª Feira passada.

Na realidade, para ser exacto e contar a história do principio, foi assim telefonaram-me na 6ª feira, dizendo se eu não tinha respondido a um anúncio.

E eu claro, que já respondi a montes deles disse que sim- e perguntei- mas quando é que eu mandei a resposta.

Vai daí a senhora disse a meio de Agosto.

E eu perguntei- Olhe já passou algum tempo , a que é que eu respondi mesmo?

E a srª
disse a Técnico Jurista, o recrutamento é urgente, pode vir na 2ª feira ás 10.30?

E eu apesar de estar no eléctrico e a ouvir mal a chamada disse que sim.

2ª feira, lá fui eu , com
banhinho tomado,pois nunca sabemos para o que vamos e o que nos pedem...

Fato e gravata como manda a etiqueta.

Lá fui eu para
Alfragide.

Cheguei a horas o que é de admirar.

A entrevista era colectiva, a srª disse-nos que o recrutamento era urgente, e que tínhamos de ter disponibilidade total e imediata.

Depois de todos nos apresentarmos, éramos cerca de 10 Licenciados/as em direito.

Começou logo aí nas
apresentações... não sei que "raio" andam a fazer os tipos dos RH, mas "la palissadas", "clichés" e outros lugares comuns, em entrevistas de emprego, não me parece muito bem.

A srª, disse logo á primeira candidata, que lhe disse que tinha filhos...

Tem filhos? Tem com quem os deixar? Olhe que isto aqui tem muito trabalho a disponibilidade é total, e sai-se por vezes ás 22 horas, se eles tiverem doentes como é?

Para um Portugal que dizem precisar de aumentar a natalidade, é animador...

Nada constrangedor não senhor..mas enfim...sigamos...

A srª pediu-nos que
disséssemos o nome, a morada, a universidade onde andamos, a média de curso, se tínhamos tido direito fiscal, comercial, se sabíamos fazer contas, se sabíamos trabalhar em informática, nomeadamente em excel.

Depois perguntou a outro qual a área que gostava mais, e ele respondeu "menores",ao que a entrevistadora não se conteve e disse. Menores, nessa área muito mal se vai neste país... mais um cliché.

Depois a um candidato que disse que estava a terminar o estágio, a srª interveio logo a cortar a conversa: Se está no estágio vai ser complicado trabalhar aqui, aqui queremos disponibilidade total, é que esta entrevista é para 2 bancos, num deles trabalha-se ao sábado até ás 14 horas, e normalmente a hora de saída é ás 22 horas.

Outra candidata disse que trabalhava num escritório de uma figura pública conhecida, a srª mais uma vez não se conteve e disse: Fulano de tal? ele não é nada simpático pois não? pelo menos na
TV não acho...

A srª continuou a ar e disse , que está a trabalhar com eles um jurista que desistiu da ordem,pois na ordem não se recebe no estágio e ele quer constituir família.

E eu pensei logo, mas esperem lá a sair ás 22 horas, disponibilidade total, a trabalhar ao sábado á tarde se os filhos tiverem doentes ela perguntou com quem os deixa, que raio de família vai ele constituir?

Duas das "concorrentes" disseram que moravam perto da praia, e eu já me estava a passar com aquilo, pois tantos clichés e "la
palissadas" juntos e exigências eu imaginei, estes tipos devem pagar bem... e estabeleci uma meta... 2.500€ é um bom salário... abaixo dos 1.500€ não aceito.

Por isso, optei por
não "avacalhar" a entrevista, e quando chegou a mim, em jeito de piada também disse que morava perto da praia... em Belém... tem praia ninguém la vai mas isso não interessa nada.

Sigamos....

A descrição das funções, o técnico jurista, por ter as competências de escrever entrelinhas, dizendo
não aos clientes, mas deixando uma porta aberta, tem alem disso as seguintes funções.

Tomar conta do dossier individual dos clientes que lhe forem
distribuídos, em termos de crédito a habitação, escrutinar a vida toda do individuo, ver se tem bens, etc.. etc... tratar da papelada toda, para fazer a "papinha" toda ao balcão, para depois ser ou não concedido o empréstimo, é ele também que fixa o spred, os documentos em falta, fica com as passwords de aceso a dados do banco e segundo se constam são diversas, enfim responsável por tudo.

Depois de explicar isto tudo pormenorizadamente, disse-nos que havia uma segunda entrevista com mais três pessoas, uma das quais nos ia falar do código de vestuário.. bom código de vestuário para o
backoffice... é mesmo á português... em que as pessoas são números não valem por aquilo que são mas da maneira como estão vestidas... ( até eu fui de fato e gravata ).

Voltou a frisar que a disponibilidade teria de ser total e imediata, e perguntou um a um se a tinha.

Quando chegou a mim eu disse, a minha disponibilidade será tanta quanto aquilo que me pagarem, por isso diga-me quanto é que se vai ganhar e eu
dir-lhe-ei a disponibilidade.

Começou por dizer que era contrato de prestação de serviços, e perguntou se alguém sabia o que era... ora éramos todos JURISTAS ali presentes, todos tivemos direito de trabalho,no
mínimo aquilo era uma ofensa...

Depois disse que tínhamos de pagar o seguro de acidentes pessoais... até aí tudo bem ...

Depois disse que a experiência era 15 dias e o contrato era de 1 ano
renovável, e que os primeiros 3 meses eram de estágio.

E disse-nos que trabalharíamos por objectivos.

E que o salário base seria de ....

450 euros

Sim leram bem, 450 euros.

De maneiras que é um roubo, sr. Guarda, se for a correr ainda os apanha.

Quanto a isso não posso fazer nada ( diz o guarda).

N
ão pode fazer nada? Então um escandalo destes, onde se entornou o caldo, quando perguntou se queria ir á segunda entrevista, além de lhe dizer que não, e que não tinha andado a tirar um curso de direito,para que naquelas funções e tantas exigências, me pagassem 450 euros, disse que na empresa onde trabalhava, um Assistente administrativo que não tem o curso superior ganha quase o dobro disso.

Estes gatunos, que nos oferecem 450 euros, eu sou contra violência e tudo, estes gatunos era... bom vejam o sketch em anexo do gato fedorento ...

Para os que ficaram e aceitaram que foi cerca de 30%, tiveram de levar o registo criminal, uma declaração do Banco de Portugal como não estão inibidos de passar cheques, e o seguro de acidentes de trabalho feito.

Pois caros bloguistas, de maneiras que é um roubo, sr. guarda se for a correr ainda os apanha.

Gatunos

Vão roubar para a estrada.

CHAMEM A POLICIA - trabalhadores do comércio

Ero dez para uma no restaurante
Almoçaba alarbemente
A meio do café um garçom pedante
Chigou-se e pos-ma conta frente
Atom bubi o brande todo dum trago,
Berrei pró home num pago, num pago;
O gaijo braunco chamou o girente,
Saltei pa trás, saquei, saiu o pente...
Pra num andare cadeiras pru are,
Atom pus-ma gritare:

Chamem a policia, chamem a policia,
Chamem a policia queu num pago.

Fui ver Lisboa a noite
Parei no Russio
Numa noite sem frio
Mandei bir uma cola
E um gradanapo
E o cara de sapo
Pediume logo o taco o malcriadom
Num me cuntibe passeilhe um sermom
Disse qu’era uso da cunfeitaria
Qu’era mais siguro no tempo que curria.

Chamem a policia, chamem a policia
Chamem a policia, chamem a policia


O sketch do gato fedorento alusivo
http://br.youtube.com/watch?v=lfdVTF8h81I

ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS, NÃO HÁ?

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Boa noite Vitinho

Já são horas de ir dormir.
Já deu o Vitinho.
Mas não me apetece.
Só de pensar que vou ter de acordar amanhã outra vez em Portugal...
Bom, não é bem isso... a questão é mesmo esta: Só de pensar que amanhã vou acordar com estes Portugueses...
Numa era de naves espaciais e de conquista do espaço, nós andamos fixados em aviões.
Ele é interromperem telejornais porque parece que está a chegar um avião que possívelmente trás o novo treinador do Benfica...
Ele é interromperem uma entrevista em directo na SIC Notícias, com um antigo primeiro ministro português, Santana Lopes, porque o Sr.José Mourinho, também ele Treinador de Futebol, chegou a Portugal...
Anda tudo louco... ou melhor os jornalistas andam loucos...
E o que nós queremos é Pão e Circo... e que o Benfica Ganhe...
Ah Santana, Santana, não há quem nos abra a pestana.
Tenho mesmo de me ir deitar.
Boa noite Mundo.

Canção do vitinho

está na hora da caminha
vamos lá dormir
que lá fora,
as estrelas
dormem a sorrir
e amanhã cedinho,
bem cedinho
tu vais ver
acordas mais forte e mais esperto,
isso é crescer
boa noite
mãe: boa noite, dorme bemvitinho: (rizos)
pai: vá lá vitinho, toca a dormir
mãe: até manhã (*chuac*)
um beijinho
sonhos lindos
adeus e até amanhã!

Ele há cargas fantásticas, não há?