As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Passe lá fáxavor

Olá Caros Bloguistas Militantes

Aqui para nós que todos nos ouvem, tenho a impressão que os Guarda-Freios estão a fazer de propósito e andar mais devagar, principalmente na carreira 15 que tem os eléctricos rápidos...

Ah se eu vos contasse como a Carris adquiriu os eléctricos rápidos... talvez um dia quando estiver mal disposto...

Pois é meus caros, o Natal está por aí á porta.

Como é que sabemos?

Além dos óbvios anúncios para os putos, os aumentos vêem aí , logo o Natal está à porta.

Vai aumentar um pouco de tudo, e o culpado está achado...

Não, não é o Sócrates... é o Petróleo e esta crise mundial que desde 1970 parece que nunca deixou de o ser...

Somos como a formiga no carreiro... seguimos sempre em frente.... apesar das crises, de vez em quando vem um carreiro novo.

Mas focalizemos a nossa atenção num aumento só.

Vão aumentar os transportes, e não é de tamanho aviso já.

Bom, eu não estou contra o aumento, sei que o aumento é provisório...

E como diria o Solnado, é provisório porque eles ainda vão aumentar mais.

Mas o que me chateia, é esta posição de Leão, esta posição dominante, em que as companhias de transportes, aumentam assim os transportes, chateia-me mesmo, porque em democracia isto não deveria acontecer assim unilateralmente.

É que se ainda fossemos bm servidos ( e o argumento de que antigamente era pior para mim não colhe).

Se isto fosse um país que estivesse na 3ª geração automóvel, diria que a maioria de nós era utilizador de transportes públicos, assim como só estamos na 2ª geração automóvel, direi que uma parte de nós, é utilizador de transportes públicos.

Mas se somos utilizadores de transportes públicos, de um serviço público, esteja ele ou não privatizado, temos direitos e deveres.

Os deveres estamos mesmo todos a ver qual é, utilizar e pagar.

Quanto aos direitos... bom quanto aos direitos, temos direito a eles, e por isso é nosso dever exigi-los.

É que se exigirmos os nossos direitos, talvez andemos na senda dos países civilizados, e acabar com o apelo ao consumo, ao apelo à compra, à influência negativa que governo e indústria automóvel nos anda a impingir para comprarmos carros.

E os nossos direitos, aqueles que devemos pugnar e exigir, são entre outros:

Exigir transportes a tempo e horas e com fluência para que não andemos a cheirar a "sovacada" alheia... já que não podemos exigir que o pessoal tome banho.

Transportes a horas para que não andemos a desesperar, nunca sabendo a que horas e quanto tempo temos de esperar pelo próximo autocarro, apesar daqueles novos painéis que andaram a colocar por aí, e que um minuto leva 10 a passar.

Os paineleiros, devem ter-se esquecido de qualquer coisa, pois o minuto deles é diferente do nosso... bem mais comprido... não sei quem contrata os paineleiros na Carris... mas deve haver um interesse qualquer... pois....

Por essa razão, marcar encontros e reuniões a determinadas horas, e depois apanhar um transporte público, é a mesma coisa que tentar misturar azeite com água, nem eles se misturam nem nós chegamos a horas.

Temos direitos, e devemos exigir, transportes, mais regulares, mais frequentes, sem falhas, sem encurtamentos, coordenados uns com os outros e sem estarem reservados ...

Mas o mais importante disto tudo, e para que isto tudo se concretize, é imperioso que a Autoridade Metropolitana de Transportes, entre em funcionamento quanto antes.

As autoridades Metropolitanas de transportes, são entidades, que supervisionam, coordenam, agilizam, fiscalizam, nas diferentes áreas metropolitanas (entre outras Lisboa e Porto), os transportes públicos que nessas regiões operam.

Essa entidade que já foi aprovada, há muito tempo, faz anos, e que todos os políticos, que a maior parte dos cidadãos que disso tem conhecimento clamam por urgente, teima em não sair do papel.

Será porque as companhias privadas dos transportes não lhes agrada? Pois teriam de ir a locais que talvez não fossem tão rentáveis, e eram fiscalizados? Será?

Medida também importante, é nós exigirmos, que os passes "L" em Lisboa e o seu correspondente no Porto, sirva para toda a área metropolitana, que esse passe acompanhe assim o fluxo migratório casa-trabalho e trabalho-casa ( uma espécie de antigo bilhete operário), e não se cinja meramente a ser válido num concelho.

As deslocações já não se fazem na maior parte dentro e um só concelho, a péssima política habitacional que temos vindo a assistir nas últimas 4 décadas, têm-nos chutado a todos para a periferia, e os passes não acompanham isso.

Soube de um caso, que em 1993, ao tempo, pagava 12 contos para ir do Seixal á Costa da Caparica de transportes, e tinha de apanhar 4 transportes diferentes.

O caso dos passes da CP no Porto, é paradigmático, onde comprar dois passes fica mais barato do que comprar só um, e poupam-se uns valentes euros.

A área metropolitana de Lisboa, para que fiquem a saber, são só para dizer alguns, os concelhos de Loures, Cascais, Lisboa, Montijo, Seixal e mais...

Exigir só um passe para toda a área metropolitana, exigir a entrada em funções plenas e fiscalizadoras no mais curto espaço possível (menos de 6 meses) das Autoridades Metropolitanas de Transportes.

Comecemos assim, e se aumentarem os passes segundo a inflação actual, eu suporto.

Mudem de rumo ... Mai nada.

A formiga no carreiro - Letra e música: Zeca Afonso

A formiga no carreiro
vinha em sentido contrário
Caiu ao Tejo
ao pé de um septuagenário

Lerpou trepou às tábuas (bis)
que flutuavam nas águas (bis)
e do cimo de uma delas
virou-se para o formigueiro

mudem de rumo (bis)
já lá vem outro carreiro

A formiga no carreiro
vinha em sentido diferente
caiu à rua
no meio de toda a gente

buliu abriu as gâmbeas
para trepar às varandas
e do cimo de uma delas...
virou-se para o formigueiro

mudem de rumo (bis)
já lá vem outro carreiro

A formiga no carreiro
andava à roda da vida
caiu em cima
de uma espinhela caída

furou furou à brava
numa cova que ali estava
e do cimo de uma delas...
virou-se para o formigueiro

mudem de rumo (bis)
já lá vem outro carreiro

Ele há cargas fantásticas, não há? Mas se formos de transportes públicos os cavalos cansam-se menos.

1 comentário:

Anónimo disse...

Força Paulo!! Quem sabe se reclamando não somos "ouvidos"?? Pois bvem eu RECLAMO por já não falar contigo há TANTO tempo!