As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

o homem das meias verdades

Hoje destacamos o blogue de poesia http://poetrycafe.weblog.com.pt/ , visitem-no, a poesia também faz parte.
Caros Bloguistas Militantes

Nem tudo é tão bom como dizem, nem tudo é tão mau como pintam.
Se é verdade que a Madeira tem um déficit democrático, nado e criado por lá e foi esse defit deixado crescer por cá (leia-se continente), também não é menos verdade que a Madeira está desenvolvida e virada para o turismo.
Ou seja o Dr. Alberto João apesar das suas atitudes condenáveis e anti democráticas, aproveitou bem a sua maioria absoluta e desenvolveu a Madeira.
Tem lá bolsas de pobreza, pois tem, mas ainda não chegámos a um estágio da humanidade que conseguimos eliminar as bolsas de pobreza todas.
Não retiro o mérito, nem a visão que o Dr. Alberto João teve na Madeira.
Mas uma boa acção não desculpa duas más e não lhe dá o direito de de vez em quando e cada vez com mais frequência, incitar o povo Madeirense contra o continente.
Ele é de facto o homem das meias verdades.
Ele que diz que ninguém tenha medo e não se deixe enganar, ele é o mais puro dos enganadores, e o mais dificil de desmascarar pois tem obra feita.
Ele que diz que não se deixem subjugar pelo regime de Lisboa, é o mais tirânico dos capatazes.
Ele que tanto mal diz do Governo da República, é o mais dependente desse mesmo governo.
Por mais uns tostões, e usando a arma da injuria, calúnia e ameaça, ele lá vai conseguindo mais uns tostões e perdões de dívida dos fracos políticos do continente que tudo deixam que ele faça.
Aliás Portugal parece premiar quem refila, quem parte a loiça, em deterimento de quem cumpre e anda na linha.
Não somos adeptos de ficar calados, mas achamos que quem não cumpre não deve ser premiado.
Acho-lhe piada quando o Dr. Alberto João diz "aqui não precisamos de autoritarismos", pois claro que não, acrescento eu, então quem é que vai à Madeira ensinar a missa ao vigário? Estaides loucos não?
Rir-me-ia se a questão não fosse para chorar, o Dr. Alberto João quer a autonomia da sua ilha, mas uma ilha que provavelmente não sobreviveria neste contexto global se não fosse a ajuda solidária do continente (e que tem de ser pois trata-se de uma região de Portugal)
A Madeira precisa dos milhões que vem do continente, dos produtos que vem do continente a preço mais baixo por causa do "custo" de eles estarem numa ilha, a Madeira que á custa dos milhões necessários do continente, deixou de ser uma região pobre (ao menos há quem aplique bem o dinheiro, como vêem não é só dizer mal) em termos de comparação europeus.
Mas tudo tem um reverso,imagine o Caro Bloguista Militante que solicita a um banco um empréstimo (no tempo em que os bancos tinham dinheiro está claro), e que depois não pagava esse empréstimo.
Isso em direito tem um nome, chama-se enriquecimento sem causa, e dá direito a ir parar ao mocho da justiça, e é onde o Caro Bloguista Militante vai parar se não pagar ao banco? Fica sem tudo e mais alguma coisa.
O mesmo não acontece ao governo da Madeira. O Dr. Alberto João, pediu emprestado e desenvolveu o arquipélago, tem obra feita, é verdade, mas quando a conta do banco veio, não pagou e diz que não paga e pede mais ao Governo da República e ainda o ameaça?
O vilão passa a vitima; e ninguém diz nada, ninguém faz nada, e ainda lhe cobrem as dívidas?
Porque se é assim, como se costuma dizer "com as calças do meu pai, também sou homem," por outras palavras, se eu pedir um empréstimo e não pagar também terei um excelente nível de vida.
Não sou contra que se acabe com a pobreza, mas o país é um todo e não pode acontecer uns serem filhos e outros enteados, ou á moralidade ou comem todos.
Mas pior que isso, é que não há moralidade e os imorais ainda mandam e gritam e fazem e acontecem.
Não está aqui qualquer coisa mal neste filme?
Parafraseando Hamlet e com a devida analogia adaptado ao nosso país -"Algo está podre no reino da Dinamarca."

Barnabé - Sérgio Godinho
Vieram profetas
Vieram Doutores
santos milagreiros, poetas, cantores
cada qual com um discurso diferente
ra curar a vida da gente
e a gente parada fez orelhas moucas
que com falas dessas as esperanças são poucas
mas quando o Barnabé cá chegou
Toda a gente arribou
Toda a gente arribou
Que é que tem o Barnabé que é diferente dos outros?
Vieram peritos em habilidades
dizer que a fortuna cresce nas cidades
e que só ganha quem concorrer
e quem vai ser, quem vai ser
e que vai ganhar, vai vencer?
e a gente parada fez orelhas moucas
que com falas dessas as esperanças são poucas
mas quando o Barnabé cá chegou
Toda a gente ganhou
Toda a gente ganhou
Que é que tem o Barnabé que é diferente dos outros?
Vieram comerciantes vender sabonetes
danças regionais, televisões, rabanetes
em suaves prestações mensais
e quem dá mais, quem dá mais?
e quem dá mais, quem dá mais?
e a gente parada fez orelhas moucas
que com falas dessas as esperanças são poucas
mas quando o Barnabé cá chegou
quem tinha ouvidos ouviu
quem tinha pernas dançou
Que é que tem o Barnabé que é diferente dos outros?
ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS NÃO HÁ? O BARNABÉ FAZ PARTE DA NOSSA BRIGADA...E A NOSSA BRIGADA ASSIM É DIFERENTE DAS OUTRAS

Sem comentários: