As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

sábado, 28 de março de 2009

A Eleição da Rainha das costureiras

Hoje destaco o blogue Sine Die que no post de 24/3/2009, se refere ao Provedor de Justiça. Dêem uma vista de olhos. http://blogsinedie.blogspot.com/
Caros Bloguistas Militantes
Os governantes ou são surdos ou fingem que não nos ouvem, e parece andarem de cabeça perdida.
Deve ser porque a legislatura está a acabar e querem tomar à força o Elevador da Glória ou então não querem descer dele.
Os políticos não se têm poupado ao esforço de tomarem decisões que são as politicamente correctas... ou então não tomarem decisões de todo.
Esta indecisão, este politicamente correcto, estas não decisões ou não escolhas,não só em Portugal mas em todo o mundo,dá no que estamos agora a viver, uma crise mundial sem precedentes.
O politicamente correcto não é carne nem é peixe, não é sim, nem é não, é nim.
Não me refiro como é óbvio, só aos políticos de Portugal, não me refiro só a este governo, nem só aos governos de Portugal.
Esta febre do politicamente correcto está à escala global, todos sonham em "apanhar" o elevador da glória, e com isso desgraçaram-nos a todos.
Mas existem situações que para nós são gritantes, quer sejam elas porque são tão evidentes que não dão para deixar de reparar nelas e nas péssimas opções que os "politicamente correctos" tomaram ou não tomaram,
É o caso da eleição do PROVEDOR DE JUSTIÇA.
Caros Bloguistas Militantes
Aquilo parece a eleição da rainha das costureiras no filme "A canção de Lisboa".
O actual Provedor de Justiça, já está à 8 anos e 8 meses no cargo, e já mandou umas "bocas fatelas" a dizer que não quer continuar no cargo (nem pode porque só pode exercer 2 mandatos de 4 anos, e está neste momento em gestão).
O facto é que o PS e PSD não se entendem na nomeação do futuro Provedor de Justiça.
Tal como no Futebol, em que a escolha do campeão é feita a três, o que torna o nosso campeonato desinteressante e pouco competitivo, a escolha bidual entre os dois partidos PSD E PS, torna a nossa Democracia frágil e dependente.
Se a escolha tem de ser DEMOCRÁTICA, tornem-na nisso mesmo, e isso deveria acontecer coma participação de todos os partidos com assento Parlamentar, porque quer gostemos deles quer não, todos ainda representam a totalidade do povo que votou.
A escolha ser bidual, significa na prática os dois partidos dizerem o seguinte, para os cargos importantes, só fazem a escolha os eleitores que votaram PSD E PS, os outros ficam excluídos.
Agora que deu "buraco" o entendimento BIDUAL, é que os dois partidos se lembram dos outros e vão-lhes pedir socorro.
Isto tem de ser com a mulher de César, não basta ser tem de o parecer.
Não é lá muito democrático, por isso mais à frente avanço com a solução.
Caros Bloguistas Militantes
Queria relembrar que estamos em Democracia, o Provedor de Justiça faz parte do sistema Democrático e tem como funções passo a citar a definição do site "O Provedor de Justiça é uma entidade cujo poder essencial é o de assinalar e promover a superação e correcção das deficiências que afectem direitos fundamentais dos cidadãos perante os poderes públicos, visando o aperfeiçoamento da acção administrativa."
Por isso pergunto: vamos deixar aos partidos a escolha de um Provedor que tem estas funções? ou pelo contrário deveria o o cargo de PROVEDOR DE JUSTIÇA ser por candidatura e eleito pelo povo por sufrágio universal?
Somos uma democracia, o poder está no povo, não na Assembleia da República, esta tem "Competências Delegadas" quanto ao poder que exerce, no entanto, existem decisões e escolhas que "NÓS, O POVO DE PORTUGAL", temos de AVOCAR, e a eleição do Provedor de Justiça é um poder que é nosso por direito e que temos de exercer e não delegar na A.R.
E vou mais longe, "NÓS, O POVO DE PORTUGAL", deveríamos poder escolher por eleição, não só o PROVEDOR DE JUSTIÇA, mas também o PROCURADOR DA REPÚBLICA, OS JUÍZES DOS SUPREMOS TRIBUNAIS e os JUÍZES do TRIBUNAL CONSTITUCIONAL, tal como acontece em muitas democracias com mais tempo e mais maduras que a nossa.
Como diz o líder do PCP, numa raríssima afirmação em que eu concordo com ele "o PS e o PSD entendem a democracia com uma espécie de coutada"
Existe uma tradição de "Checks and balances", que deveria impedir que o governo (seja ele qual for) fique demasiado poderoso, essa tradição que se traduz pelo entendimento entre o PSD e o PS, já foi quebrada à muito tempo.
Teoricamente segundo esta tradição, quem deveria indicar o Provedor de Justiça deveria ser o Partido que está na Oposição, mas parece que o PSD quebrou a tradição e o PS não mostra vontade de a continuar.
"NÓS, O POVO DE PORTUGAL", não somos nenhuns tótós, somos maduros o suficiente para fazermos as escolhas dos cargos que afectam a política portuguesa e a Sociedade Portuguesa.
Se a escolha fosse feita por eleição, encostávamos os partidos à parede, a parte do "Checks anda balances" mantinha-se mas por outra via, a via em que "NÓS, O POVO DE PORTUGAL" escolheriamos, "NÓS, O POVO DE PORTUGAL" é que escolheriamos porque "NÓS, O POVO DE PORTUGAL" é que temos o direito primevo de escolher.
Terminávamos assim com esta escolha "bi-dual" entre os dois partidos PSD e PS, que se mantém desde o 25 de Abril em que só escolhem para o cargo as pessoas da sua "Entourage".
Afinal o nosso país ainda é uma DEMOCRACIA REPUBLICANA.
Como já disse, esta escolha parece a eleição da rainha das costureiras no filme "A canção de Lisboa", em que o júri não se entende e perante uma "Boca" do público que diz "OH VELHINHO ENTÃO ISTO NUNCA MAIS ACABA?", o Presidente da Mesa decide com o "ESPÍRITO DE ISENÇÃO" e diz apontando para si "O JÚRI resolve...e com a máxima imparcialidade" ... continua até dizer que (contra a sua vontade) a vencedora da RAINHA DAS COSTUREIRAS É A SUA FILHA...
Se não quiserem ver o vídeo completo, que ilustra todo estes meus dizeres, vejam a partir dos 3.50 minutos, e substituam cada um dos elementos do Júri pelos partidos políticos e a rainha das costureiras pela escolha do cargo de Provedor de justiça.
E depois digam-me que não vêem aqui na nomeação do Provedor de Justiça e a eleição da Rainha das Costureiras algo de semelhante?
Estranho ou talvez não....


A AGULHA E O DEDAL - [do filme A canção de Lisboa]
Ai chega, chega, chega,
chega, chega á minha agulha,
Afasta, afasta afasta,
Afasta o meu dedal.
Peixeira não seja trafulha,
Ô não és a mais bela e frasca agulha em Portugal.
Vem cá doida agulha,
Tão meiga e tão fina,
Vem dar-me os teus lábios
De açúcar pilé...
Dedal,não me apanhas?
Sou esperta e ladina,
E mais retorcida hega
Que as de croché...
Ai chega,chega,chega,
Chega a minha agulha!
Afasta,afasta,afasta
Afasta o meu dedal!
Brejeira,não sejas trafulha:
Ó bela vem coser o avental!
Do amor.
Ai chega,chega,chega
Chega a minha agulha!
Afasta,afasta,afasta
Afasta o meu dedal
Brejeira,não sejas trafulha:
oh não...
És a mais bela fresca agulha em Portugal!
Bem sei que não me amas
Por não ser de prata,
E que me desprezas
Por ser só de cobre.
Dedal,tu não chores
Bem sei que és de lata
Também eu passajo
Na fralda do pobre.
Ai chega,chega,chega,
Chega a minha agulha!
Afasta,afasta,afasta
Afasta o meu dedal!
Brejeira,não sejas trafulha:
Ó bela vem coser o avental!
Do amor.
Ai chega,chega,chega
Chega a minha agulha!
Afasta,afasta,afasta
Afasta o meu dedal
Brejeira,não sejas trafulha:
oh não...
És a mais bela fresca agulha em Portugal!


ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS NÃO HÁ? NA BRIGADA OS COMANDANTES NÃO SÃO NOMEADOS, SÃO ELEITOS E RESPEITADOS POR TODOS.

Sem comentários: