As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

I STILL HAVE A DREAM

Relacionado com o tema de hoje destacamos este blogue de fotografias. Se o destacamos é porque gostamos e se gostamos nós o indicamos (adoro estes plutrais majestáticos), pois gosto de vez em quando lá ir repousar a vista nele. É um blogue com cheiro e cor... não acredita? Vá lá ver http://cheirar.blogspot.com/ já sabem é só clicar no link
CAROS BLOGUISTAS MILITANTES
Passava eu de comboio, ao lado do Tejo, passado por tão protentoso promontório que é o bugio, que separa as águas do Tejo com as do Atlântico, estando as águas cobertas por um fino edredon de nevoeiro (sim porque "manto" era antigamente), senti-me como se tivesse no meio das brumas... não de "Avalon" mas as de Caxias.
Esta brisa matinal que subia pelo Tejo, ia envolvendo a ponte sobre o Tejo, até esta gradualmente deixar de ser vísivel.
E aí eu pensei, o meu sonho está a começar a ser concretizado.
Não, não era El-rei D.Sebastião que voltava, porque para desgraças já basta, e este senhor já teve a sua quota parte na história.
É um sonho antigo, mas recorrente, que eu aqui já o explanei, e que é tão simplesmente : O país fechar para obras e remodelações reabrir com nova gerência. Tal qual uma sociedade comercial.
Os empregados, todos nós, íamos para o estrangeiro, enquanto o país estava em obras, e íamos todos para cursos de formação.
Íamos, conhecer novas realidades e mercados, para que quando voltássemos, já estávamos treinados nas rotinas civilizadas e principalmente deixávamos de cuspir para o chão.
Mas não julguem que isto era um sonho fácil, era um sonho bem elaborado, o país entrar para obras e reabrir com nova gerência exige muito de nós, implicaria, antes do mais, um caderno de encargos e um recrutamento cuidado, as pessoas certas nos locais certos, os empreiteiros bons nos locais certos, ou seja em todo o lado.
Obviamente que este caderno de encargos não podia ser feito por portugueses, senão ia parar às mãos dos patos bravos do costume. Não , isso não, isso seria o caos.
Entregaríamos tudo isto a um misto da União Europeia e de Suíços, com uma pitada de Australianos e Islandeses, com a sabedoria das gentes do deserto e das montanhas e recheado com um pouco da filosofia chinesa, só da boa claro, e para finalizar com a honra e dedicação japonesa... um cheirinho da ambição americana (mas só um cheirinho),et voilá, tínhamos a equipa mista que analisaria o caderno e encargos.
É que se entregássemos só á UE, corríamos o risco de ficar estereotipados, sem videiras e oliveiras no princípio das obras para depois mudarem de ideias e voltarem a plantar tudo de novo, alem disso ter o país outra vez cheio de "Jeeps" não esta com nada.
Quem faria as obras? Seria a direcção de um consorcio nórdico com parceria Suíça assim garantíamos os prazos e evitávamos as derrapagens.
O caderno de encargos versava os seguintes items:
1.Treinar os portugueses no estrangeiro a não cuspir para o chão, a serem mais produtivos, e a apreciarem a vida depois das horas de trabalho, como o fazem os franceses e os ingleses e os nórdicos, quando há sol.
2- Aproveitar a energia solar em todas as casas, para que não desperdicem energia, adaptando todas as casas para esa tecnologia e também adaptá-las para aproveitarem as águas das chuvas que descem dos beirais para um reservatório que serviria por exemplo para lavar ruas , para o w.c. , em vez de se desperdiçar água potável para esse efeito, já que ela é tão pouca e preciosa.
3- Reconstruiria as ruas de modo a que os esgotos pluviais e os domésticos não se misturassem como se misturem, deitando assim o cheiro que deitam, sempre pouparia os nossos narizes a desagradáveis odores.
4-Como tudo estava entregue a Suíços e a povos civilizados escolhidos a dedo, os funcionários públicos quando fossem para os seus lugares, já saberiam o que fazer, e tudo entrava em rigor e ordem.
5- O sistema político passava a ser uninominal nas candidaturas para a A.R. talvez aliada a um voto misto, os mandatos deixavam de ser vitalícios e passavam a ser limitados, só se poderiam candidatar por 2 mandatos.
6- A justiça, seria mais célere, a saúde não teria filas de espera, pois contratualizávamos com os outros países europeus a cura dos nossos doentes, de modo a que eles podessem ser tratados e operados no hospitais estrangeiros que não tem filas de espera.
O país é uma casa com muitas divisões, por isso substituía:
a divisão da corrupção pela divisão da eficiência, rigor, pontualidade e celeridade.
a divisão da educação era remodelada, com o 12º ano verdadeiramente obrigatório e com os conteúdos escolares renovados para um verdadeiro saber-ser-, saber. pensar saber-saber e saber-fazer, num ensino de rigor voltado para a cultura, artes e desporto.
Entretanto cheguei ao Estoril, e já não sonhei mais.
MAS AGORA EU SEI QUE TENHO UM SONHO
E é tão lindo o meu sonho … chama-se FINALMENTE PORTUGAL.
I have a dream -ABBA
I have a dream, a song to sing
To help me cope with anything
If you see the wonder of a fairy tale
You can take the future even if you fail
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
Ill cross the stream - I have a dream
I have a dream, a fantasy
To help me through reality
And my destination makes it worth the while
Pushing through the darkness still another mile
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
Ill cross the stream - I have a dream
Ill cross the stream - I have a dream
I have a dream, a song to sing
To help me cope with anything
If you see the wonder of a fairy tale
You can take the future even if you fail
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
Ill cross the stream - I have a dream
Ill cross the stream - I have a dream
ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS,NÃO HÁ? A BRIGADA QUANDO ESTÁ DE LICENÇA SONHA COM UM MUNDO ONDE NUNCA MAIS SERÃO PRECISAS NEM CARGAS NEM BRIGADAS...NEM MESMO AS LIGEIRAS

Sem comentários: