As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Palavras para quê? PARABÉNS




Caros Bloguistas
Apesar do que escrevi no texto anterior, palavras para quê?
Estou Orgulhoso destes dois.
Mas não estou insatisfeito com os outros, quem praticou desporto sabe que existem dias menos bons.
Não gostei dos jornais, que disseram que gastámos 15 milhões com os atletas.
Pois o Nelson, a Vanessa, a Naide, o Oblikuelo, a Telma, já nos começaram a habituar e deram-nos a nós Portugueses a honra de sermos campeões da Europa e do Mundo, o facto de falharem , o facto de alguns falharem nos Jogos Olímpicos não põe em causa os milhões que investimos neles.
Temos atletas colocados nos 10 primeiros do mundo, antes não tinhamos nada nas disciplinas técnicas, refilamos de barriga cheia...
Num país que só 5% da população pratica desporto, somos mais a dizer mal do que a praticar... amenos que o "dar á língua" seja considerado desporto olímpico , é que se for teremos todo o podium só para nós...
O certo é que em vez de incentivarmos enterramos...enfim...mas os nossos jornais já nos habituaram a isso (quantos jornalistas saberão pela prática o que é o verdadeiro espirito e esforço desportivo).
Agora, desses milhões que encaminhamos para o desporto, invistam pelo menos num curso de declarações aos atletas.
Porque eu também gosto de ficar na caminha ... if you know, what i mean...
Parabéns ao Nelson Évora e à Vanessa Fernandes, porque GLÓRIA AOS VENCEDORES... e em Portugal... ai dos vencidos...
ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS NÃO HÁ? MAS AS CARGAS OLÍMPICAS SÃO AS MELHORES.

1 comentário:

Agripino de Sousa disse...

Andamos nós a sustentar esta cambada para irem lá e não fazer nada!Em alturas de crise a escumalha populista que se autodesigna "imprensa" é mestre em explorar a revolta de quem gere orçamentos de tostões. Um jornalisno sério reportaria o que significa gastar 15 milhões de euros. Contas simples falamos de 37,5 centimos de euro que cada português deu anualmente para termos a melhor presença de sempre nuns jogos olímpicos! Pessoalmente não me importo de pagar o dobro para tentar evoluir qualquer coisinha. Já agora se o Nelson Évora tivesse seguido outros caminhos e por acaso hoje fosse mais um membro da comunidade Cabo-Verdeana a residir na periferia de Lisboa, seria apenas mais um preto. Assim como ganhou a medalhinha é o maior português de Portugal. Um pouco como o Obikwelo, que tendo terminado a carreira longe da Glória, voltou à boca miúda ao simples estatuto de preto