As minhas cachadas no Geocaching

Profile for jpngi

sexta-feira, 17 de julho de 2009

"Apesar de você. Amanhã vai ser outro dia"

Como vamos ter hoje aqui um cheirinho a democracia, resolvi dar destaque ao Blogue de Cheiros
http://cheirar.blogspot.com/ já sabem é só clicar em cima.
Caros Bloguistas Militantes
Este é um ano de eleições aqui pelo burgo.
Assim decidiram os que mandam. Falou, está falado.
Corrigindo, assim tem de ser porque a Constituição manda.
Mas nem eu nem tu, decidimos nada em relação à Constituição da República.
Os partidos políticos decidiram tudo... e quando este partidos decidem... está decidido.
Foram eles que inventaram este Estado e nos puseram neste estado.
Por isso quando for publicado este post, já saberemos o resultado das eleições.

Será mais do mesmo, com os mesmos, mudando só os cabeças de cartaz.
Penso que os resultados não fugirão muito das sondagens, os partidos com mais vocação de conquistar o centro levam a maior parte dos deputados (leia-se PS e PSD).
Isso será o que aconteceu no próximo dia 9/6/2009, é que este post foi escrito no dia 18/5/2009, isto é uma espécie de avançar e recuar no tempo.
Mas enquanto a nossa Democracia não evoluir, estes resultados serão assim durante muito tempo, para contento de alguns e descontentamento de muitos.
Estamos numa espécie de ditadura democrática parlamentar, com eleições periódicas.
Vão ser 3 eleições condicionadas, mais uma vez pelos partidos políticos, todos eles.
Os cidadãos em nome individual, não tem hipótese de tocar na "chicha" (como nós dizíamos quando éramos pequenos).
É uma ditadura de partidos, de todos eles, CDS/PP, PSD, PS, PCP, BE, PEV.
Todos eles comem da mesma gamela.
Foram eles que aprovaram as alterações ao financiamento dos partidos, de modo a que os grupos de cidadãos não possam ter lucro nas campanhas mas os partidos sim.
É mais uma machadada, por portas e travessas nos círculos uninominais, que de todo não interessam aos partidos.
Mas a Democracia é a Democracia e o voto é a "arma" do povo.
E não tarda muito, pelo rumo das coisas o povo qualquer dia chateia-se e usa outro tipo de armas.
A eleição é o principio da Democracia, a possibilidade eventual de existir rotatividade dos detentores dos diversos cargos através de uma escolha eleitoral global.
Mas a nossa Democracia começa logo mal.
A nossa Democracia é opaca, não é transparente.
Eu explico: Se virmos as eleições nos diversos países com uma democracia sólida e consolidada na Europa, vemos que as urnas onde depositamos os votos são em acrílico transparente, pelo contrário cá pelo burgo são de metal pintado de preto, logo opaco.
Parece que temos algo a esconder.
É que isto da democracia é como a mulher de César "Não basta sê-lo, tem de parece-lo".
Pode parecer uma questão comezinha, mas é um princípio, e como começamos sempre mal, ou seja não começamos transparentes, começamos mal.
Deveríamos rapidamente evoluir a democracia eleitoral para urnas acrílicas transparentes, era um bom começo.
Acresce aqui uma questão logística, é que as urnas se fossem em acrílico ao arrumar não se deformavam como se deformam nos armazéns das câmaras, visto serem de folha e ficam sempre cheias de mossas e todas riscadas.
Essa é a primeira questão, depois vem a questão dos cubículos onde votamos (tem um nome mas eu não me lembro), chamemos-lhe camâras de reflexão...
Se repararem nas eleições americanas e em alguns países europeus, essas camâras de reflexão, possuem uma cortina e tem uma luz no interior, de modo a iluminarem bem o eleitor quando olha para o seu boletim de voto antes de colocar a cruz.
Isto tem diversas vantagens, beneficiam os eleitores que tem uma visão menos boa, a cortina impede quem está na mesa de ver onde colocámos a nossa cruz, dá uma sensação de privacidade eleitoral muito maior, convida mais à reflexão na hora de escolher.

Cá pelo burgo, não sei se já repararam mas:

  • A maioria das salas onde votamos não tem luminosidade suficiente ou adequada;
  • Os cubículos onde votamos estão com as aberturas voltadas para a mesa, ou seja a mesa vê os cidadãos a votar, não existe privacidade; não estou a dizer que consigam ver onde se coloca a cruz, mas é o princípio que aqui está em causa.

O voto é constitucionalmente protegido, e deve ser directo, secreto, universal e periódico.
O secretismo do voto é uma prorrogativa de cada um dos cidadãos.
É meu entendimento (e só a mim esta leitura da constituição é imputável) que poderemos ou não individualmente prescindir desse secretismo quando vamos colocar a cruz no boletim.
Eu exemplifico, se eu quiser à frente de toda a gente votar à frente de toda a gente, pode-lo-ia fazer, claro que outras situações se colocam, por exemplo o facto de eu influenciar outras pessoas, mas isso será para outra discussão.
Mas para cumprir a constituição, os cubículos onde votamos, deveriam ter luminosidade própria e terem uma cortina a tapar, como os países europeus e os EUA.
Deixo mais uma proposta, porque não se estuda o maneira de implementar o voto electrónico, e o voto a partir de casa utilizando a net?

Porque é que estando noutra cidade não podemos votar e temos de obrigatoriamente de votar no local onde nos recenseámos? Mas isso fica para outro post.
Por último, queria deixar uma reflexão, como é que a nossa Democracia poderá intitular-se como tal, quando os agentes políticos estão mais dependentes de quem os financia do que quem os elege.
Os agentes políticos deveriam servir o Estado e o seu povo, não os agentes económicos que a maior parte das vezes tem interesses diversos a Portugal.
Estas pequenas coisas, são o começo do degradar da Democracia, é por estas e por outras que estamos como estamos.
Mas como diz Chico Buarque, "Apesar de você. Amanhã vai ser outro dia"

Apesar de você Chico Buarque
(Crescendo) Amanhã vai ser outro dia (x 3 )
Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.

(Coro) Apesar de você
amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

(Coro2) Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa.
Apesar de você

(Coro3)Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você

(Coro4)Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá…….
ELE HÁ CARGAS FANTÁSTICAS, NÃO HÁ? A BRIGADA ESTÁ A MOBILIZAR-SE PARA CONSOLIDAR E EVOLUIR A DEMOCRACIA.

Sem comentários: